PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Jornalista que espancou idoso gravou bate boca que antecedeu agressão; veja

Rodrigo Maia, que aparece agredindo o aposentado Nildo Ferreira em vídeo diz que recebeu ameaças do vizinho - Reprodução
Rodrigo Maia, que aparece agredindo o aposentado Nildo Ferreira em vídeo diz que recebeu ameaças do vizinho Imagem: Reprodução

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

21/12/2018 12h43

O jornalista Rodrigo Maia, da Rede Gazeta, afiliada da Globo no Espírito Santo, mostrou o vídeo feito por ele do vizinho, Nildo Ferreira, 69 anos, momentos antes de agredi-lo dentro do elevador do prédio onde moram em Vitória.

"Você é repórter agora? Primeiro seja homem, depois você seja profissional", diz Nildo.

"Do que o senhor estava me chamando? Fale aqui agora. O senhor me chamou de viado e de que mais?", questionou Rodrigo no vídeo.

"Isso aí todo mundo sabe", responde Nildo, que empurra o repórter e diz: "Vai pra fora que quero ir embora".

Os momentos seguintes foram os das agressões, que foram registradas pelas câmeras de segurança do condomínio onde Rodrigo e Nildo moram na Praia do Canto, em Vitória.

Na quinta-feira, o jornalista falou que se sentia perseguido pelo vizinho, que insistia em dizer que ele martelava sua parede e enviava cartas frequentemente com reclamações. Ele nega que cometesse o barulho.

"Além das cartas dizendo que martelava a parede do Sr Nildo Ferreira, comecei a receber os receituários médicos que ele colocava embaixo de minha porta. Com as medicações que ele faz uso".

Em uma das cartas, publicadas por Rodrigo no Facebook, Nildo diz que estava num quadro grave de estresse e fazendo tratamento. Ele também sugere que Rodrigo mude seu horário de trabalho e arranje outro apartamento no prédio.

"Se que me complicar mais ainda, pague pra ver. Você conhece lei e eu sei que sabe que eu também não sou frouxo", disse o vizinho.

Em entrevista ao Gazeta Online, Nildo contou que foi agredido muitas vezes, gritou por socorro e achou que fosse morrer.

"Ele me puxou pra fora do elevador com chutes, pontapés, por três vezes eu fiquei desacordado e ele me batendo, como se estivesse batendo num cachorro morto. Ele disse que estava possuído por três demônios e que ele estava naquele momento ali pra me matar", contou o aposentado.

"Senti muito sangue saindo porque quando ele mordeu a orelha eu perdi a ação. Não tinha nem como reagir a qualquer luta corporal porque perdi as forças... Ele cuspiu no meu rosto várias vezes."

O filho de Nildo disse ao UOL que desconhece que o pai tenha depressão ou síndrome do pânico. "Nada justifica tal agressão", falou Filipe, que afirma que quer ver o agressor do pai preso.

Famosos