PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Aguinaldo Silva pede R$ 500 mil em danos morais em ação contra "Na Telinha"

O autor de novelas Aguinaldo Silva - TV Globo/Divulgação
O autor de novelas Aguinaldo Silva Imagem: TV Globo/Divulgação

Do UOL, em São Paulo

24/01/2019 21h16

Aguinaldo Silva entrou com uma ação na Justiça do Rio de Janeiro, na segunda (21), contra o "Na Telinha", site hospedado no UOL. O autor da novela "O Sétimo Guardião" pede indenização por danos morais de R$ 500 mil e a retirada de informações que considera "inverídicas e ofensivas" contra ele e a atração.

A ação cita duas reportagens veiculadas pelo site, especializado em televisão: "Com baixa audiência, Globo intervém em 'O Sétimo Guardião' e gera crise nos bastidores", publicada em 13/12/2018, e "Em baixa, 'O Sétimo Guardião' iguala pior audiência da história da noite de Natal", publicada em 26/12/2018. 

Para Aguinaldo, a intenção do site é "denegrir a imagem do autor e sua obra". O documento cita reportagens publicadas em outros veículos, que apontam que a novela tem alcançado bons índices de audiência. Contesta, ainda, a informação de que a Globo promoveu uma intervenção na trama, recorrendo ao diretor de Dramaturgia da emissora, Sílvio de Abreu, para reescrever seus capítulos.

Com base no Marco Civil da Internet, a defesa pede ainda a remoção, em 24 horas, de todas as postagens do "Na Telinha" que envolvam seu nome ou que citem "O Sétimo Guardião", sob pena de multa de R$ 5 mil por dia. 

Procurado pelo UOL, o site "Na Telinha" enviou o seguinte comunicado. "Sobre o processo movido por Aguinaldo Silva, ainda não tivemos acesso a todo seu conteúdo. Diante disso, só iremos nos posicionar após analisar a ação com nossos representantes jurídicos."

De acordo com o site, em todas as informações publicadas, Aguinaldo Silva e seu assessor sempre foram procurados, mas não responderam às mensagens.

"Ao Aguinaldo Silva, continuamos tendo um grande respeito por sua história na televisão e dizendo que o espaço estará sempre aberto para qualquer momento que ele nos procure a fim de publicar sua versão, mas repudiamos qualquer tentativa de calar ou cercear o trabalho da imprensa."

Televisão