Topo

"Fada empoderada": Cantora estreia na Globo com tema de Gabriela no "BBB19"

Reprodução/TV Globo
Gabriela é a "fada arco-íris" do "BBB19" Imagem: Reprodução/TV Globo

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

2019-01-25T04:00:00

25/01/2019 04h00

Participante mais querida do "BBB19", Gabriela Hebling ganhou apelido e até trilha sonora no reality show. A percussionista é, ao lado de Hana e Rízia, uma das "fadas empoderadas" que debatem racismo, feminismo e temas sociais na casa. Gabi, a "fada arco-íris", foi apresentada na última terça-feira (22) ao som de "Miss Beleza Universal", da cantora Doralyce, de quem já disse ser fã.

A intérprete pernambucana se surpreendeu ao ouvir sua canção pela primeira vez na Globo. Cantora e ativista, Doralyce não assiste televisão, mas estava com a TV ligada por acaso quando ouviu os primeiros acordes de "Miss Beleza Universal", que virou hit entre os fãs de Gabriela.

"Liguei a TV para ver as notícias sobre quem matou Marielle e as não declarações do [senador] Flávio Bolsonaro. A TV ficou ligada, ouvi o 'pananan' e fui ver o que era", relembra Doralyce, aos risos, em entrevista ao UOL.

Além de ter gostado de ouvir sua música na TV, a cantora adorou saber que há uma representante da luta contra o racismo e o patriarcado, que a letra de "Miss Beleza Universal" combate. No "BBB19", Gabriela já tentou explicar para Paula que "cabelo não é ruim, preconceito é" e que racismo, por ter origem na escravização de africanos, não existe contra brancos.

"Ela é uma santa, né? Pelo amor de Deus!", brinca Doralyce. "Ela me chamou muito a atenção. É uma mulher extremamente sintonizada com o que a nova cena está falando, não só a música como entretenimento, mas pessoas comprometidas em apresentar a música como fonte de informação. Pessoas que não apenas cantam, mas tocam almas", complementa.

Humberto Giancristofaro/Divulgação
A cantora Doralyce, compositora de "Miss Beleza Universal" Imagem: Humberto Giancristofaro/Divulgação

"Gabriela lembra Marielle"

"Mode on high tech, modelo ocidental. Magra, clara e alta, Miss Beleza Universal É ditadura! Quanta opressão! Não basta ser mulher... Tem que estar dentro do padrão. Foda-se o padrão!". São os primeiros versos da música, lançada em 2017 no álbum "Canto da Revolução", que foi tese de doutorado na Universidade de Northwestern, em Chicago (EUA).

O trabalho impulsionou a carreira de Doralyce na nova cena da MPB e da música negra e feminista brasileira, ao lado de Larissa Luz, Karol Conká, Mulamba e Bia Ferreira, mulher da cantora pernambucana e que costuma aparecer nos intervalos do "BBB19" fazendo beat box no comercial de uma rede de fast food.

"'Miss Beleza Universal' fala sobre esse padrão universal de mulheres, e em que nenhuma mulher se enquadra. Foi criado pelos homens, por um sistema chamado patriarcado, um sistema de lógica dos boys, dos machos. É libertador para qualquer mulher falar que esse padrão não nos representa, e fico muito feliz que músicas pensadas para educar, empoderar e politizar as pessoas tenham uma influência sobre comunicadores também, a partir do momento que está em um programa de uma visibilidade como o 'Big Brother'", analisa Doralyce.

Márcia Foletto/Agência O Globo
Marielle Franco Imagem: Márcia Foletto/Agência O Globo
A intérprete vê semelhanças nos perfis de Gabriela Hebling e Marielle Franco, que já foi tema de uma de suas músicas, "O Bicho": "Quatro tiros na cabeça não apagam os seus feitos. E a mídia trata isso como se fosse normal, de quem são as balas que mataram Marielle?".

"Gabi tem várias características que Marielle tem: é preta, lésbica, é feminista, debate sobre isso, levanta bandeiras, e por defender bandeiras e ideais a quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro foi brutalmente assassinada. Ela ter a oportunidade de falar sobre isso, quando a mídia e a imprensa silenciam atrocidades como a que aconteceu com Marielle, é muito importante, faz com que outras pessoas se empoderem também e acreditem que o seu direito de fala vai ser garantido", afirma.