Topo

TV e Famosos


Sabrina Bittencourt, que ajudou a denunciar João de Deus, morre na Espanha

Sabrina Bittencourt - Facebook/Reprodução
Sabrina Bittencourt Imagem: Facebook/Reprodução

Gisele Alquas

Do UOL, em São Paulo

03/02/2019 12h37

Sabrina Bittencourt, 38, umas das ativistas que ajudou mulheres a desmascarar abusos sexuais do médium João de Deus e do guru espiritual Prem Baba, morreu neste sábado (2), em Barcelona, na Espanha, onde morava. Ela também seria responsável por ajudar a cantora Melody na carreira.

Em nota de falecimento comunicada à imprensa assinada por Maria do Carmo Santos, presidente da ONG Vítimas Unidas, com a qual Sabrina trabalhava, informou que Sabrina cometeu suicídio. 

"O grupo Vítimas Unidas comunica com pesar o falecimento de Sabrina de Campos Bittencourt ocorrido por volta das 21h deste sábado, 02 de fevereiro, na cidade de Barcelona, na Espanha, onde vivia atualmente. A ativista cometeu suicídio e deixou uma carta de despedida relatando os porquês de tirar sua própria vida....A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo", escreveu Maria do Carmo.

Sabrina, fundadora da "Escola sem Asas", chegou a deixar uma carta aberta em seu Facebook, mas depois ela foi apagada. Nela, a ativista diz que fez o que pode e que estaria se juntando à vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018. 

Gabriel Baum e a mãe, Sabrina Bittencourt - Reprodução/Facebook
Gabriel Baum e a mãe, Sabrina Bittencourt
Imagem: Reprodução/Facebook

"Sei no meu íntimo que todo menino nasceu puro e foi abusado, corrompido, machucado, moldado, castrado, calado, forçado a fazer coisas que não queria, até se converter talvez, cada um à sua maneira, em tiranos manipuladores (em maior ou menor grau) que ao não controlar os próprios impulsos, tentam controlar a quem consideram mais frágil e assim praticam estupros, pedofilia, adicções diversas?".

"Eu sei, eu sinto, eu vi. Mas ainda assim, preferi sempre ficar do lado mais frágil nesta breve existência: mulheres, crianças, idosos, jovens, povos originários, afrodescendentes, refugiados, ciganos, imigrantes, migrantes, pessoas com deficiência, gays, pobres, lascados, fudidos, rebeldes e incompreendidos?", dizia o desabafo. 

Gabriel Baum, filho de Sabrina, também usou a rede social para pedir que as pessoas não permitam que a imagem da mãe seja manchada, afirmou que Sabrina lhe disse que seria "a próxima" depois de Marielle e que deixou um material organizado "com provas". "Minha mãe lutou até o final, ela não desistiu. Ela só se libertou do inferno que estava vivendo", escreveu ele, que também era ativista de causas sociais.

Em novembro, Gabriel publicou um vídeo oferecendo ajuda às mulheres vítimas de abuso sexual: "Podem contar comigo", disse ele, entre outras palavras de apoio. Muitos amigos e admiradores de Sabrina lamentaram nas redes sociais a morte da ativista.

Bittencourt seria "mentora" de Melody

Sabrina Bittencourt foi convidada pelo youtuber Felipe Neto para ser uma "mentora" para Mellody e sua irmã Bella. 

A ativista iria ajudar a cantora mirim a gerenciar sua carreira após o desabafo de Felipe Neto, que através das redes sociais anunciou que iria banir o conteúdo de Melody de seu canal no YouTube, que tem 29 milhões de inscritos, por causa do forte apelo sexual nos últimos trabalhos da cantora, que tem 11 anos de idade.

Devido a seu empenho e ativismo em causas sociais, Felipe acionou Sabrina Bittencourt para tentar ajudar a família de Melody. O youtuber e Sabrina iriam arcar com as despesas. 

Mais TV e Famosos