Topo

Televisão


Colegas, políticos e famosos lamentam a morte de Ricardo Boechat

Datena anuncia ao vivo morte de Ricardo Boechat

UOL Entretenimento

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

11/02/2019 14h56

A morte de Ricardo Boechat após um acidente de helicóptero na manhã desta segunda-feira (11), em São Paulo, gerou uma onda de comoção entre personalidades da política e da mídia, com grande mobilização por parte das emissoras de televisão.

A Globo e a Record dedicaram longos trechos de sua programação para falar sobre o assunto, retomando trechos de reportagens e entrevistas de Boechat. Reinaldo Gottino, da Record, disse que tentou ligar para Boechat quando soube da notícia, mas o celular do jornalista não tocou.

"Muito triste. Um dos maiores nomes do jornalismo brasileiro", declarou Gottino.

Já o SBT manteve sua exibição do seriado "Chaves". O "Fofocalizando" abriu com informações sobre o acidente. A RedeTV! derrubou o início "A Tarde é Sua" para falar sobre o caso com a equipe de jornalismo da emissora. Quando começou, o programa de Sonia Abrão também focou na cobertura do ocorrido.

Na Band, colegas de Boechat se emocionaram ao noticiarem o assunto. Cátia Fonseca chorou ao vivo ao dar a notícia. "Traz um pouco de esperança a gente saber que a gente fez o máximo que a gente podia dentro do que a gente queria fazer, o quanto que a gente era transparente antes de mais nada. O Boechat era assim. Eu acompanhei ele não só como colega de trabalho mas como fã", disse Cátia.

Nas redes sociais, diversos jornalistas lamentaram a morte de Boechat. "Uma perda lamentável para o bom jornalismo! Adeus Boechat, trabalhador incansável! Brasileiro sempre indignado com as mazelas, vai fazer muita falta", declarou Cid Moreira.

"Meu querido amigo Ricardo Boechat. Não posso acreditar. Eu lhe devo tantos favores, tantas palavras generosas em momentos difíceis. Você foi pessoa linda, jornalista maravilhoso. Ai Boechat, tão cedo, tão cedo, amigo", desabafou a colunista Miriam Leitão.

Já o correspondente internacional Guga Chacra, disse que Boechat era "um dos um dos melhores e mais geniais jornalistas e comunicadores do Brasil".

"Não estou querendo acreditar ... acabo de saber que meu querido, amado colega Ricardo Boechat com que convivi durante tantos anos a quem admiro e respeito imensamente estava no helicóptero que caiu em SP .  Meu Deus, dá pra  encerrar esse terrível 2019!!!", disse apresentadora da Globo News Leilane Neubarth.

Figuras políticas, como o presidente Jair Bolsonaro, também manifestaram sua solidariedade. "Deus console a todos", escreveu Bolsonaro. 

"Nossa solidariedade à família de Ricardo Boechat e a todo o jornalismo brasileiro que perde hoje uma de suas referências. Muito triste", disse a deputada federal Sâmia Bomfim.

"Recebo com tristeza a informação sobre a morte do jornalista Ricardo Boechat e do piloto do helicóptero que caiu nesta manhã. Boechat foi um dos grandes comunicadores do nosso país e uma referência de bom jornalismo e independência. Minha solidariedade a seus familiares e amigos", disse o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

O governador de São Paulo, João Doria Jr., disse que Boechat era um dos maiores jornalistas da história do Brasil. "Sua atuação diária demonstrava sensibilidade em defesa do interesse público e do jornalismo de qualidade. Toda a solidariedade a seus familiares, amigos e colegas da Rede Bandeirantes", declarou.

"Insubstituível"

Dona de uma coluna da rádio Band News FM, a jornalista Mônica Bergamo conversava todas as manhãs com Boechat, trazendo notícias e as debatendo com o jornalista. Em conversa com o UOL, ela contou que não conseguia acreditar quando recebeu a notícia.

"Fique extremamente chocada. Acho o Boechat um jornalista insubstituível e único no Brasil, não conheço nenhum outro jornalista com as características dele. Um jornalista que traduzia as coisas mais complexas da forma mais simples possível. Uma personalidade única que o transformou em um profissional único", disse Mônica.

"É muito triste, muito injusto. [Fica dele] Extrema espontaneidade, como ele conseguia ser na rádio exatamente o que ele era na vida. O que parecia ser um personagem era exatamente o que ele era", complementou ela.

Outro colega de Boechat, o colunista José Simão, que apresentava com ele o quadro "Buemba Buemba", se manifestou por meio de seu Twitter.

"Meu amigo querido! Meu vice amado!", escreveu Simão.

LUTO.

Uma publicação compartilhada por Ivan Moré (@ivan_more) em