PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Maisa diz que incluirá minorias em novo programa: "Padrão de família mudou"

Maisa apresenta seu novo programa no SBT - Manuela Scarpa e Marcos Ribas/Brazil News
Maisa apresenta seu novo programa no SBT Imagem: Manuela Scarpa e Marcos Ribas/Brazil News

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

11/03/2019 12h07

Com 16 anos de idade e 14 de carreira, Maisa Silva estreará no próximo sábado (16) seu próprio programa no SBT, onde trabalha desde 2007. E será empoderado, do jeitinho dela: a apresentadora rebaterá "haters" (os xingadores da internet) e incluirá "todas as famílias", incluindo as que fugirem do padrão conservador.

"Como tenho horário à tarde no SBT, que é um um canal aberto, não teria por quê restringir a presença de certas pessoas no meu programa. Até porque o SBT sempre foi uma emissora para a família, e as famílias são diferentes, não são todas iguais. Temos uma ideia de família padrão, de mãe, pai, filho. Mas hoje em dia as famílias estão mudando e mostrando que onde há amor há família", disse hoje durante a apresentação do programa aos jornalistas. 

"Não quero proibir ou banir certas pessoas de virem ao programa. Quero que todo mundo sente aqui e tenha um papo legal. Quero que pessoas com opiniões diferentes venham aqui".

O pensamento e o programa de Maisa contrastam com a guinada conservadora do SBT, principalmente após a vitória de Jair Bolsonaro na eleição presidencial. A emissora inclusive ressuscitou um slogan da ditadura militar, "Brasil, ame-o ou deixe-o" --após a repercussão negativa, reconheceu o erro.

Maisa chorou ao falar da família, que a acompanha na TV desde quando decidiu ir ao "Programa Raul Gil" pela primeira vez, em 2005, na Record. Para ela, seus pais, Celso e Gislaine, gerenciam melhor sua carreira do que qualquer empresário.

"Se eu estiver doente, meus pais me levam imediatamente ao hospital. Empresário nenhum faria isso porque só querem saber do lucro. Meus pais não visam o lucro", disse, às lágrimas.

A cantora Gretchen, o jornalista Leo Dias e o influenciador digital Carlinhos Maia já gravaram o "Programa da Maisa", que terá dois convidados por semana. Na estreia, Fernanda Souza relembrará sua carreira no SBT no quadro "Submaisa" e será entrevistada com o humorista Matheus Ceará, de "A Praça É Nossa".

Comparação com Tatá

Mesmo antes da estreia, o "Programa da Maisa" vem sendo comparado ao "Lady Night", apresentado por Tatá Werneck no Multishow e na Globo. Ambos são talk shows comandados por artistas desbocadas. Maisa, porém, rejeita a semelhança por não ser humorista.

"Não me acho parecida com a Tatá. Ela é rápida, eu também, mas ela é uma humorista e eu não sou. E ela é adulta, pode falar coisas mais salientes, mais picantes, que não são a minha pegada. Se estão comparando o meu programa ao 'Lady Night', é porque vai ser bom. Sendo sincera, não procuro constranger as pessoas como a Tatá também não. Nunca tive essa impressão dela. Todo mundo dá risada. É uma gênia, perfeita. Não gosto que constranjam a mim, mentindo em manchetes etc., e não vou constranger porque ninguém sentaria neste sofá", explicou.

"Rainha" adolescente da internet

O "Programa da Maisa" terá forte ligação com a internet, onde a apresentadora "reina" como adolescente mais seguida do mundo no Instagram. Os merchans são chamados de "recebidos", e conteúdos extras serão publicados no YouTube.

"Nem todo mundo pode assistir naquele horário. Eu não conseguiria assistir ao meu programa todo sábado por causa da minha rotina", admite.

Maisa terá companhia de Oscar Filho, ex-"CQC" e ex-"Dancing Brasil", que dará o toque de humor ao programa. Desbocado, ele ironizou os dois patrocinadores do programa, uma marca de sorvetes e uma universidade.

"É um talk show como o Danilo, como o do Bial, mas puxamos para a diversão. Oscar tem um humor físico e homem é bom para ter um contraponto. Maisa é a dose de inteligência. O Oscar, não", brincou Fernando Pelegio, diretor de planejamento artístico e criação do SBT.

Televisão