Topo

Novela

A Dona do Pedaço


Cheia de Manias é a cara de Maria da Paz, diz cantor do Raça Negra

Luiz Carlos, vocalista do Raça Negra - Helena Yoshioka
Luiz Carlos, vocalista do Raça Negra Imagem: Helena Yoshioka

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

09/07/2019 04h00

Maria da Paz tem dois níveis de humor em A Dona do Pedaço: Evidências e Cheia de Manias. Quando está triste ou sofrendo por amor, ouve-se ao fundo o hit de Chitãozinho & Xororó. Se está feliz, a novela toca o clássico do Raça Negra, para alegria do vocalista, Luiz Carlos, que acha a música a cara da boleira interpretada por Juliana Paes na novela das nove da Globo.

"Adoro ver novela. Agora está meio corrido, mas quando posso assisto. [Cheia de Manias] combina [com a Maria da Paz]. Além de ser uma mulher bonita, é uma atriz fora do comum. Ela se veste com o tema da novela. E gosto que [a música] aparece sempre nos momentos mais felizes dela. Nos momentos ruins, bota Chitãozinho e Xororó. Viu, 'Zé de Lima'? Quando é ruim é você! Quando é Cheia de Manias ela fica rindo, sai com o Gianecchini", brinca Luiz Carlos, mandando recado a Durval de Lima, o Xororó.

Maria da Paz em A Dona do Pedaço - Reprodução/TV Globo
Maria da Paz em A Dona do Pedaço
Imagem: Reprodução/TV Globo
Luiz Carlos regravou Cheia de Manias especialmente para ser tema de Maria da Paz em A Dona do Pedaço. É um dos maiores sucessos do Raça Negra, principalmente por causa do "Didididididiê". O que pouca gente sabe é que o refrão nasceu na música Somente Você, lançada um ano antes. O vocalista admite que até hoje tem dificuldade para cantar o verso que ele próprio criou.

"O povo cobra e eu também. Se eu falar 'Dig dig', pessoal fala: 'O que é isso? É didididididiê'. Para mim, é difícil também. As pessoas perguntam por que 'didididididiê'. Falta de letra, rapaz! Não tem 'laiá laiá'?", explica, aos risos.

Raça Negra se apresenta no lançamento do projeto Deezer Sessions - Helena Yoshioka
Raça Negra se apresenta no lançamento do projeto Deezer Sessions
Imagem: Helena Yoshioka

Cheia de Manias "nasceu" na Folha de S.Paulo

Cheia de Manias foi hit do segundo álbum do Raça Negra, lançado em 1992. Mas a música é bem mais antiga e tem forte ligação com a Folha de S.Paulo, jornal do mesmo grupo do UOL. Luiz Carlos trabalhava na empresa quando, na festa da firma, conheceu uma garota que o dispensou no dia seguinte.

"Trabalhei oito anos na Folha. Colava páginas, montava fotos, usava nanquim. Fiz dois anos de jornalismo, mas meu pai morreu e tive que parar. Fiz essa música em 1978, em uma festa de fim de ano do jornal. A menina queria ir ao casamento da minha irmã e tinha que arrumar um motivo: eu. Ela namorou comigo um dia. No outro, fui até a casa dela, eu a vi entrando e perguntei: 'Cadê ela? Fulana está aí?'. 'Não, diz que não está não!' Aí eu: 'Cheia de manias, toda dengosa, menina bonita, sabe que é gostosa, com esse jeito faz o que quer de mim...'", recorda, cantarolando.

Luiz Carlos, vocalista do Raça Negra - Helena Yoshioka
Luiz Carlos, vocalista do Raça Negra
Imagem: Helena Yoshioka
Quando está na "fossa", Luiz Carlos confessa que escuta gravações dos primórdios do Raça Negra, formado na Vila Nhocuné (zona leste de São Paulo). O cantor, porém, rejeita o rótulo de "música de corno" e valoriza o choro como uma libertação.

"As pessoas costumam dizer que é música de corno. Não. A música te liberta de muita coisa, porque o choro é igual ao riso. Chorar liberta muita coisa que está guardada dentro da pessoa, como o riso. Quando estou triste, vou lá atrás, no começo do Raça Negra, e volto na fase em que eu ficava na frente da rádio com a fitinha e o cara quase passava por cima de mim. Ao mesmo tempo, me liberta daquelas coisas que eu estava sentindo", afirma.