Topo

Televisão


"Morro de medo de que tipo de mãe eu vou ser", desabafa Tatá Werneck

Tatá Werneck se emociona durante programa exibido no Multishow - Reprodução/Multishow
Tatá Werneck se emociona durante programa exibido no Multishow Imagem: Reprodução/Multishow

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL

16/07/2019 23h29

Tatá Werneck caiu no choro ao falar sobre maternidade com Taís Araújo no Lady Night de hoje. Grávida de Rafael Vitti, a apresentadora contou à atriz seus receios ao lidar com a primeira gestação.

"Ser mãe gera muita culpa mesmo. A gente não sabe como agir, vai sempre errar de alguma maneira. Eu estou gravando, passando mal, saio daqui vou fazer ultra [sonografia], porque tenho medo de ter feito [esforço] demais. Eu quero não abrir mão de trabalhar, ao mesmo tempo não quero perder nada da minha filha", contou, entre lágrimas.

"Morro de medo de que tipo de mãe eu vou ser, se serei uma mãe boa o suficiente. Se eu vou conseguir não gerar traumas na minha filha. Só quero facilitar a vida dela", desabafou. Sejamos as mães que conseguimos ser.

O momento de emoção veio à tona quando Taís falava das dificuldades que teve na gravidez de Maria Antônia, sua segunda filha - ela também é mãe de João Vicente, ambos do casamento com Lázaro Ramos.

"Na gravidez da Maria Antônia eu tive em um dia oito crises de choro. Ela eu não conseguia amamentar, tive uma infecção renal e tomei antibiótico no final da gravidez. Quando fui tentar dar mamar pra ela, ela não quis mais. Era ela chorando de um lado e eu do outro. Eu queria acordar de madrugada, queria estar com ela. Eu me sentia tão culpada, sabe, de uma coisa que eu não tinha culpa", debulhou-se em lágrimas.

Walcyr Carrasco

Durante o bate-papo sobre a carreira, elas descobriram um ponto em comum: ambas fizeram apenas uma novela de Walcyr Carrasco. "Vou perguntar pra ele porque não fala comigo, fiz a Valdirene e nunca mais olhou na minha cara", disse Tatá, citando a personagem de Amor à Vida.

Taís revelou que seu caso é parecido. "Ele também nunca mais me chamou para nada depois de Xica da Silva, juro. Ele me cumprimenta quando encontro, mas nunca mais me chamou para nada", disse sobre o autor de A Dona do Pedaço.

Trauma de Helena

Questionada se faria Malhação, mesmo que para ser avó de alguém quase de sua idade, não titubeou. "Tenho dois filhos para criar, faria". E não se esquivou ao ser questionada sobre a experiência de protagonizar Viver a Vida (2009) como uma das Helenas de Manoel Carlos, quando recebeu uma chuva de críticas.

"Traumática. Eu tinha tido até então uma carreira muito próspera, quase sem críticas. Chegou novela das 9, pensei 'é minha grande chance'. Deu errado, deu muito errado. Fiquei muito abalada com as críticas, mas você aprende depois. Isso vai acontecer de novo na carreira, só que agora não é mais novidade", analisa.