Topo

Televisão


Gentili rebate elogio de jornalista que o processou: Me chamava de fascista

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

17/07/2019 12h59

As críticas de Danilo Gentili à indicação de Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, como embaixador do Brasil nos Estados Unidos foram elogiadas por Gilberto Dimenstein, editor do site Catraca Livre, que há dois anos processou o humorista por danos morais. O apresentador, porém, rebateu o jornalista dizendo que, antes, era chamado por ele de "fascista".

"A crítica de Danilo Gentili foi muito mais poderosa do que a de todos os jornalistas. Fez da risada uma bomba contra a família Bolsonaro", escreveu Dimenstein no Twitter.

"Uma rasa pesquisa no YouTube mostrará que essa não é a primeira vez. Nunca deixei de criticar e zoar o governo depois que ele mudou. Na minha timeline tem post fixo sobre isso. Por que agora você me exalta mas quando eu fazia o mesmo com Lula/Dilma você usava seu veículo para me chamar de fascista?", retrucou Gentili.

No The Noite, Gentili ironizou o presidente por indicar o próprio filho, reeleito deputado federal em 2018, para a embaixada norte-americana.

"O Bolsonaro está querendo colocar o filho, Eduardo Bolsonaro, como embaixador do Brasil em Washington, nos Estados Unidos. E o Eduardo já está usando até boné: 'make mamata great again'", brincou o comediante.

"Agora, realmente, os filhos de Bolsonaro estão prontos para virarem embaixadores do Brasil. E eles se dariam muito bem com o Trump. Porque o Trump é laranja. E eles têm experiência com laranja", ironizou, fazendo referência ao Caso Queiroz.