Topo

Televisão


De atriz ao Globo Repórter: a carreira nada deselegante de Sandra Annenberg

Sandra Annenberg em entrevista ao UOL - Simon Plestenjak/UOL
Sandra Annenberg em entrevista ao UOL Imagem: Simon Plestenjak/UOL

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

09/08/2019 14h32

Após mais de 20 anos, Sandra Annenberg vai deixar definitivamente a apresentação do Jornal Hoje. A apresentadora vai para o Globo Repórter, no lugar de Sérgio Chapelin, que se aposenta, enquanto Maju Coutinho assumirá a bancada do jornal vespertino da Globo. Com uma vida praticamente toda construída na televisão, Sandra teve uma trajetória um pouco atípica: iniciou como atriz, para só depois chegar aos telejornais.

Ela começou cedo, com apenas seis anos, quando passou a estrelar comerciais, tendo participado de mais de 50. A mãe trabalhou como produtora nas TVs Cultura e Tupi e, por conta disso, Sandra acabou estreando como atriz em uma pequena participação no teleteatro Peixes-Banana. Ela chegou a atuar no programa Rá-Tim-bum, também da Cultura, interpretando a personagem Bela Adormecida.

Depois de ter sido convidada para a estrelar uma peça ao lado de Tarcísio Meira e Glória Menezes, passou a emendar um trabalho de atriz no outro, fazendo a sitcom Broncos, de Ronald Golias, na Band. Em 1988, foi para a Globo mais uma vez trabalhar com Tarcísio Meira e Glória Menezes, no seriado que levava o nome do casal. Depois, fez a novela Pacto de Sangue (1989) e as minisséries República (1989) e "A, E, I, O...Urca" (1990).

"O [diretor Alexandre] Avancini tinha me dito: 'Você vai ser a nova Regina Duarte, tem cara de Namoradinha do Brasil'. Achei simpático, mas não me enxergava dessa maneira", contou ela, em entrevista ao UOL.

Sandra Annenberg e Fábio Junqueira em pacto de sangue , em 1989 - Divulgação/TV Globo
Sandra Annenberg e Fábio Junqueira em pacto de sangue , em 1989
Imagem: Divulgação/TV Globo
Em 1990, Sandra fez seu último trabalho como atriz: foi a protagonista da novela Cortina de Vidro, fracasso escrito por Walcyr Carrasco e exibido pelo SBT. Depois, segundo relatou ao projeto Memória Globo, percebeu que, para continuar atuando, teria que se mudar para o Rio, algo que não desejava.

Procura-se vaga de apresentadora

Por isso, passou a procurar emprego como apresentadora. Ela acabou sendo contratada pela Record para um programa chamado TV Franchising. Seu desempenho despertou o interesse da Globo, e ela foi chamada para fazer um teste como moça do tempo na emissora. Passou e nunca mais saiu do canal.

Sandra se tornou a primeira mulher a ter um quadro fixo no Jornal Nacional, em 1991, quando começou a fazer a previsão do tempo no jornalístico. O fato virou piada em coluna publicada por José Simão na época. "Deus criou a mulher, e o Jornal Nacional só descobriu agora", escreveu ele.

Depois, passou pelo Fantástico e pelo SPTV. Participou da cobertura dos Jogos Olímpicos de Atlanta e, no ano seguinte, virou apresentadora e editora-executiva do Jornal da Globo. Em 1998, pisou pela primeira vez no Jornal Hoje como apresentadora, deixando a bancada em 1999, para voltar à reportagem.

Em 2000, virou correspondente da Globo em Londres, onde participou de coberturas importantes, como a do 11 de Setembro e a da queda do ditador da sérvia, Slobodan Milosevic.

Foi em 2003 que ela retornou ao Jornal Hoje e nunca mais saiu. Em 2013, ainda estreou o programa Como Será?, exibido aos sábados de manhã.

Ao longo dos anos, Sandra ganhou fama por conta de sua espontaneidade e de seu carisma, formando uma dobradinha de sucesso com Evaristo Costa, que deixou o jornal em 2017.

Memes deselegantes

Sandra Annenberg se choca e dispara: "Que deselegante" - Reprodução/TV Globo
Sandra Annenberg se choca e dispara: "Que deselegante"
Imagem: Reprodução/TV Globo

Com seu jeito espontâneo, Sandra também não escapou de virar meme: até hoje é impossível esquecer quando, durante uma cobertura ao vivo, a repórter Monalisa Perrone foi empurrada por um homem, o que levou a apresentadora a comentar, chocada: "Que deselegante!". Pronto, até camiseta com a frase fizeram.

"Eu 'memesma' virei essa fonte dos memes. Foi algo tão inconcebível que, na hora, tudo que passou pela cabeça foi o que eu não poderia falar, porque seria deselegante com o telespectador. Então falei ao vivo: 'Que deselegante!'. Depois, quando fui rever, falei para mim mesma: 'Não tinha palavra melhor para falar nessa hora?'. Mas foi exatamente por isso que ganhou o espaço que ganhou", contou ela ao UOL.

Sandra já disse não ser muito adepta da vida on-line, mas é amada pelas redes sociais. Hoje, com o anúncio de sua saída, internautas se dividiram entre lamentos e celebrações pelo novo cargo. E, claro, vários memes da apresentadora foram recuperados.

Orgulho dos cabelos brancos

Aos 51 anos, Sandra também é um caso na raro na televisão: uma mulher que tem envelhecido em um meio que não costuma ser generoso com as mulheres. Se um homem pode ser visto com cabelos grisalhos diante das telas, com uma mulher já é bem mais difícil, como foi enfatizado por Mariana Godoy, ex-apresentadora da Globo e atualmente jornalista na Rede TV!, em recente entrevista ao UOL.

Sandra, no entanto, afirmou que não se preocupa com a aparência: "Meus cabelos brancos estão nascendo porque estou fazendo 50 anos e aqui eles ficarão, porque faz parte da vida envelhecer. Não tenho crise de idade, não vou pintar meus cabelos e gosto deles curtos. É minha identidade. E as rugas virão".

Ela também frisou como teve que provar sua competência em diversas ocasiões até chegar à bancada do JH.

"Se tem uma coisa de que me orgulho de um tanto é ter sido uma das primeiras mulheres a trilhar esse caminho. Eu sou feminista, meu marido é feminista, minha filha é feminista. A Elisa vai fazer 15 anos e espero que ela nunca passe por isso, porque eu me vejo com 15 anos sofrendo assédio sexual. É uma das coisas mais humilhantes para a mulher, é constrangedor. É como se você tivesse que pedir desculpas por ser mulher", afirmou.

Agora, Sandra se prepara para estrear no Globo Repórter e encarar novos desafios. Certamente uma mudança que ela não esperava. "Não penso em sair do jornalismo. Do jeito que está hoje está bom. Eu amo o 'Jornal Hoje'. Quanto tempo permaneço? Não sei. Enquanto eu sentir esse frio na barriga minutos antes de entrar no ar, estou aqui. Ou enquanto a Globo quiser uma apresentadora de cabelos brancos no ar", disse ela no ano passado.

O jornalismo continua, mas seu ciclo no Jornal Hoje se encerrou.