PUBLICIDADE
Topo

"Quem mama nas tetas do governo é a Presidência", desabafa Jonas Bloch

Jonas Bloch - Globo/João Cotta
Jonas Bloch Imagem: Globo/João Cotta

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

27/08/2019 18h56

Aos 80 anos e com 50 de carreira, Jonas Bloch está no ar em Bom Sucesso e é ativo no Instagram, onde utiliza o espaço para criticar o governo de Jair Bolsonaro. Por causa disso, ele sofre ataques de apoiadores do presidente.

"Em uma hora que nós estamos com um desemprego, você fechar uma Ancine, tirar dinheiro da educação e da cultura significa estar desempregando. As pessoas não têm ideia do número de pessoas que trabalham para esse setor", disse o ator nos bastidores da novela, hoje, nos Estúdios Globo, no Rio.

Bloch falou que recebe com frequência críticas sobre a classe artística e desabafou sobre quem o acusa de "mamar nas tetas do governo".

"É uma grande mentira o que estão divulgando. Quando faço uma postagem sobre qualquer coisa que está errada, recebo uma resposta como se a gente mamasse nas tetas do governo. Isso é uma grande mentira. "Quem mama nas tetas do governo é a câmara dos deputados, a Presidência da República, a Justiça. Todos eles têm 80 funcionários para motoristas, copeiros, cargos e etc. E ali ninguém tira nada dali, ninguém fala em diminuir alguma coisa dali", criticou.

Jonas também comentou o aumento de incêndios e queimadas na Amazônia e culpou o agronegócio pela devastação da floresta.

"E tudo o que está sendo feito na Amazônia agora o que que é? É um benefício do agronegócio. Tem uma frase do Millôr que diz: 'Errar é humano, botar a culpa nos outros também'. É isso que está sendo feito, a cada dia é criado um inimigo para afastar a ideia, disfarçar as trapalhadas que estão acontecendo. E o pior é que os seguidores estão repetindo isso", afirmou.

O inacreditável, segundo Bloch, é que os simpatizantes de Jair Bolsonaro se defendem de encarar os fatos e tapam o sol com a peneira: "Aí eu já botei, não adianta vir dizer que é de esquerda porque isso não tem nada a ver com esquerda. A desculpa é essa".