Topo

Novela

Órfãos da Terra


Alice Wegmann faz terapia para viver vilã em Órfãos da Terra: "Não é fácil"

Alice Wegmann - Raquel Cunha/TV Globo
Alice Wegmann Imagem: Raquel Cunha/TV Globo

Rafael Godinho

Do UOL, no Rio

04/09/2019 04h00

Alice Wegmann, 23, está totalmente imersa no universo de Dalila, sua personagem de caráter duvidoso, em Órfãos da Terra. A intensidade das cenas da vilã tem sido tão grande que a atriz precisou recorrer à psicanálise para viver seu papel na atual trama das 18h, da Globo. "Não é fácil fazer vilã. A gente gosta de mergulhar. Sou uma pessoa muito entregue", declara.

Em conversa com o UOL, a atriz contou quais são suas estratégias para conseguir se desligar de Dalila. "Estou fazendo muita análise (lacaniana), terapia holística (tratamento com florais, massagens, cristais e outros elementos da medicina oriental), bastante coisa para limpar mesmo. Estou conectada com a natureza, tomando banho de mar, cachoeira, fico perto dos amigos, danço. Faço tudo que eu puder trazer leveza para minha vida pessoal", diz.

Na reta final do folhetim, o público ainda pode esperar muitas maldades da vilã. "Ela vai continuar aprontando bastante. Muita coisa ainda vai acontecer", adianta Alice, sem dar muitos detalhes. "Não recebi os últimos capítulos ainda. Está tudo muito no escuro. Não sei o que vai acontecer. Quero me surpreender", afirma.

A atriz fala da relação de ódio e amor das pessoas com Dalila. Ela consegue enxergar a fragilidade da personagem e torce para uma possível redenção dela. "Acredito na bondade da Dalila. Realmente, acho que tudo pode acontecer. A vida sempre surpreende a gente", justifica.

Dalila (Alice Wegmann) consegue emprego de garçonete e tenta envenenar Laila (Julia Dalávia) em Órfãos da Terra - Raquel Cunha/Globo
Dalila (Alice Wegmann) consegue emprego de garçonete e tenta envenenar Laila (Julia Dalávia) em Órfãos da Terra
Imagem: Raquel Cunha/Globo

Militante em prol das minorias, direito das mulheres e defesa da Amazônia, Alice é figura presente em manifestações e atos contra o atual governo de Jair Bolsonaro (PSL). A atriz não abre mão do seu posicionamento político pela fama. "É instinto, minha natureza. Não consigo ser de outra forma. É a minha verdade. Comecei a me colocar e não parei mais", admite.

A artista reforça a importância de lutar contra as queimadas e os desmatamentos no Norte do país. "Tem que agir rápido, na prática. Fui à manifestação no Rio e temos que ocupar as ruas mesmo, cobrar uma atitude do governo", estimula ela, que usa a arte para dar uma aliviada na carga emocional das notícias ruins.

"Acendo sempre uma velinha, coloco uma música do Caetano Veloso, da Maria Bethânia, Gal Costa, Gilberto Gil... Isso me ajuda a ficar mais calminha", afirma a atriz que irá relaxar após o fim de Órfãos da Terra. "Estarei de férias. Vou aproveitar na Bahia", planeja.

Isabelle Drummond e Alice Wegmann (Divulgação/TV Globo) - Isabelle Drummond e Alice Wegmann (Divulgação/TV Globo)
Isabelle Drummond e Alice Wegmann (Divulgação/TV Globo)
Imagem: Isabelle Drummond e Alice Wegmann (Divulgação/TV Globo)

Ao ser questionada sobre ter recusado fazer O Selvagem da Ópera, série escrita por Maria Adelaide Amaral para a Globo, Alice revela o motivo. "A gente não pode se forçar a nada. Já me coloquei outras vezes. Acho que a gente tem que respeitar nosso corpo, nossa mente", explica. O convite foi então transferido para Isabelle Drummond.

Alice lembra ter saído de uma sequência de trabalhos intensos: Órfãos da Terra (2019), Onde Nascem os Fortes (2018) e A Lei do Amor (2017). "Cheguei em um momento em que eu precisava colocar na mesa o que quero agora, meu futuro. Foi uma decisão que eu precisava tomar", conclui.