PUBLICIDADE
Topo

Giselle Itié exibe o barrigão de grávida ao lado de Guilherme Winter

 Guilherme Winter e Giselle Itié  - Reprodução/Instagram
Guilherme Winter e Giselle Itié Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL

24/10/2019 11h41

Grávida de cerca de 5 meses, Giselle Itié mostrou o seu barrigão ao fazer um "ensaio" na praia ao lado do namorado, Guilherme Winter. Na imagem, o ator aparece abraçado com a atriz, com as mãos em seu ventre.

"Família ao mar", legendou ela.

Giselle ainda fez um clique divertido, comparando sua barriga com a do pai, o mexicano Fernando.

"Mi papi y yo embarazados ['meu pai e eu grávidos', em espanhol]", brincou ela.

Recentemente, Giselle fez um desabafo sobre a gestação e confessou que nem tudo são flores.

"Vemos uma grávida grata e muito feliz por estar 'criando órgãos'. [...] Mas nesta imagem não vemos os enjoos, enxaquecas, gengiva sangrando, alergias na pele, dor na bacia, seios cansados de doer, hormônios gritando e o medo de criar um filho neste mundão 'esquisito'. Agora entendo a frase 'não romantize a gravidez'. É, esse momento é realmente mágico. Porque mesmo com tantas mudanças eu continuo achando maravilhoso estar grávida. Sim existe a dor mas também existe amor. Assim como a vida", declarou.

Amanhã às 20h vou encontrar com a @ceciliafrancadoula e @giseleaguilaeo para falar sobre parto. Nos vemos na LIVE?! Vamos nos informar juntas? Segue um texto pra gente refletir... *Não quero parto HUMANIZADO, só quero o NORMAL!* Vamos trocar o termo HUMANIZADO por RESPEITOSO e entender o significado por trás da humanização. O que significa humanização? Significa que a assistência obstétrica respeita o protagonismo da mulher, suas escolhas informadas, com base nas evidências científicas atualizadas, preservando a dignidade e integridade física e emocional do binômio mãe e bebê. Ou seja, parto humanizado não é parto sem assistência especializada, colocando o bebê em risco, no mato ou apenas na água. É respeito ao empoderamento feminino, liberdade para parir com segurança, na posição mais confortável, podendo expressar livremente a sua dor, com acesso à comida, em um ambiente acolhedor, com manejo da dor, sem ser cortada sem necessidade, sem pressa, com conforto e pessoas que trazem apoio emocional e físico. Pode ter analgesia, pode virar cesárea (se houver necessidade), pode ter música e o bebê vai ter o contato com a pele da mãe, com seu seio e seu calor, imediatamente após ao nascimento. Resumindo o PARTO NORMAL deveria ser sempre o RESPEITOSO, pautado em preceitos como os da declaração universal dos direitos humanos fundados sobre o respeito pela dignidade e o valor de cada pessoa. Texto @ceciliafrancadoula 📸 @guiwinter ♥️🦄

Uma publicação compartilhada por GiseLLe ItiÉ (@gitie) em

Famosos