PUBLICIDADE
Topo

Televisão


Milton Gonçalves vive Papai Noel negro em especial da Globo: "Me emociona"

Milton Gonçalves será Papai Noel por um dia no especial Juntos a Magia Acontece, exibido no Natal na Globo - Estevam Avellar/Globo
Milton Gonçalves será Papai Noel por um dia no especial Juntos a Magia Acontece, exibido no Natal na Globo Imagem: Estevam Avellar/Globo

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

15/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • O veterano Milton Gonçalves comemora viver um Papai Noel no especial de Natal da Globo: "Uma batalha de séculos"
  • Juntos a Magia Acontece gira em torno da família Santos, que perde sua matriarca, vivida por Zezé Motta, às vésperas do Natal
  • Camila Pitanga desta a importância do projeto para a representatividade: "Uma família preta, na noite de Natal, é muito especial"

Esqueça a imagem do bom velhinho de barba longa branquinha, pele clara, cabelos cor de neve. A Globo resolveu apostar na representatividade, num país em que mais da metade da população é composta por pardos e negros e escalou o veterano Milton Gonçalves, 85 anos, para viver Papai Noel no especial de Natal Juntos a Magia Acontece.

"Acho maravilhoso. Estar aqui hoje e fazer esse personagem me emociona, É uma batalha de muitos anos, de séculos. A gente tem que eliminar o medo, que batalhar. Vou fazer o melhor Papai Noel que eu puder. Se ele fosse oriental também estaria do lado dele, se fosse índio, também. Como sou eu, melhor pra mim, né?", comemora Milton.

O especial será exibido no dia 25 de dezembro e gira em torno da família Santos, que perde sua matriarca às vésperas do Natal. A ausência repentina de Neuza (Zezé Motta) interfere na rotina da casa e faz com que o viúvo Orlando (Milton Gonçalves) desenvolva uma depressão.

Com essa lacuna, André (Fabrício Oliveira), filho de Neuza e Orlando, se afasta ainda mais da família e isso acaba interferindo na vida de sua irmã Vera (Camila Pitanga), uma mulher sobrecarregada com o trabalho, os afazeres domésticos e o desemprego do marido Jorge (Luciano Quirino).

Gravado em Marechal Hermes, subúrbio do Rio, o programa se passa no bairro vizinho, de Madureira e retratada bem os costumes dos moradores dessa localidades, onde ainda é possível ver vizinhos conversando nas calçadas de suas casas.

Além do núcleo de protagonistas negros, o especial terá como coadjuvantes nomes como Zezé Polessa, Francisco Cuoco e Aracy Balabanian.

Cabe à menina Letícia (Gabriely Mota), de 9 anos, trazer de volta o espírito natalino para o lar da família Santos. Filha de Vera e de Jorge, ela consulta o avô sobre a existência de Papai Noel. Apesar da tristeza, ele não tira a fé da neta no bom velhinho: "Quando você acredita, existe".

"Tomara que ela tenha um mundo melhor, ela é um amor", elogia Milton sobre a atriz mirim.

Ainda de luto com a perda da mulher, Orlando busca uma ocupação para deixar de se sentir um fardo para a família. Quando começa a procurar por toda parte uma chance de se sentir útil de novo, é sua neta quem dá ao avô a oportunidade de fazer um Natal feliz para todos os vizinhos do bairro.

"Família preta na noite de Natal é especial"

Orlando (Milton Gonçalves) com a filha Vera ( Camila Pitanga ) e neta Letícia (Gabriely Mota) no especial de Natal da Globo: Juntos a Magia Acontece - Estevam Avellar/Globo
Orlando (Milton Gonçalves) com a filha Vera ( Camila Pitanga ) e neta Letícia (Gabriely Mota) no especial de Natal da Globo: Juntos a Magia Acontece
Imagem: Estevam Avellar/Globo

Camila Pitanga destaca a importância de a emissora exibir um especial protagonizado por negros. "Acho que a gente poder contar com a nossa voz, uma história que é de família, mas é de uma família preta, na noite de Natal, é muito especial", celebra.

"Esse projeto tem vários sabores para mim. Eu acho que a gente está com esse especial acordando uma outra possibilidade de leitura, que não descarta nada, que amplia, que abre para outras oportunidades de manifestação dessa figura simbólica e querida por todos".

A atriz acredita que a história vai abraçar mais pessoas. Ela conheceu a autora, Cleissa Regina Martins, quando estava desenvolvendo a sinopse.

"Fiz parte do Laboratório de Narrativas Negras. Eu era orientadora, imagina, estava ali trocando com ela e com todos os outros parceiros, que desenvolviam sinopses. Então eu vi esse especial muito lá atrás, no início. Vê-lo fora do papel, como um projeto realizado, é muito emocionante", relembra.

"A história é principalmente sobre uma família que tem conflitos, mas se une por conta dos desejos de dois membros opostos: o avô e a neta. Esses dois, cada um tentando superar sozinho uma perda, acabam envolvendo a família num plano para ajudá-los", define a autora.

Televisão