Topo

Televisão


Lacombe é criticado no Twitter após revelação de que PM matou Ághata Félix

Luís Ernesto Lacombe - Divulgação
Luís Ernesto Lacombe Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

19/11/2019 10h53

O jornalista e apresentador da Band Luís Ernesto Lacombe foi alvo de comentários ácidos no Twitter, hoje, com a revelação de que um tiro disparado por um policial militar provocou a morte da menina Ághata Félix, de 8 anos de idade, no Rio, no mês de setembro.

De acordo com a investigação, o PM, que não teve o nome divulgado, tentou balear dois homens suspeitos de tráfico de drogas passando em uma moto, mas acabou acertando a criança, que estava dentro de uma Kombi, no Complexo do Alemão. Ele foi indiciado pela morte da garota e afastado da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da Fazendinha.

O crime causou grande comoção, e na época, Lacombe, que divide a apresentação do programa Aqui na Band com a jornalista Silvia Poppovic, deu a entender que defendia a atuação da polícia, ao comentar, ao vivo, o assassinato da menina.

"Acho ainda um pouco precipitado a gente dizer o que aconteceu. Vai ser feita uma perícia", ele afirmou.

Parentes da menina e testemunhas do crime afirmaram que ela havia claramente sido atingida por tiros disparados pela polícia.

"Eu vejo as pessoas se voltando contra o trabalho da polícia, e eu me lembro que, no início da minha carreira, década de 1980, Leonel Brizola era o governador, ele proibiu as polícias de subir nos morros, nas comunidades do Rio. O que a gente viu foi um fortalecimento do tráfico de drogas, o tráfico de drogas ganhou uma força inacreditável", afirmou Lacombe.

"A polícia tem que atuar com todo o cuidado para preservar a vida de inocentes, principalmente, mas a polícia não pode deixar de atuar nas comunidades de maneira nenhuma. Os traficantes estão nessas comunidades porque ali eles estão protegidos. Estão encastelados, protegidos por pessoas inocentes. É muito complicado a gente acusar sempre a polícia", disse o jornalista.

Poppovic deixou evidente não concordar com o colega e o interrompeu:

"Eu não estou acusando a polícia do Rio de Janeiro, eu estou acusando a política de segurança pública do estado, que permite a polícia 'atirar na cabecinha', como disse o governador [Witzel]. Quando existe uma política agressiva, de matar quem está na frente, acontece esse tipo de desgraça", ela retrucou.

Hoje, com a divulgação de que foi isso o que realmente aconteceu, internautas passaram a questionar Lacombe sobre sua opinião a respeito do comportamento da polícia.

Lacombe e Poppovic divergem sobre caso de menina atingida por bala no Rio

Band Entretenimento

Televisão