PUBLICIDADE
Topo

Marília Mendonça comemora um mês do nascimento de Leo e volta ao palco

Marília Mendonça posta foto com o primeiro filho - REPRODUÇÃO/UOL
Marília Mendonça posta foto com o primeiro filho Imagem: REPRODUÇÃO/UOL

Colaboração para o UOL

16/01/2020 13h27

Marília Mendonça é pura emoção, ainda mais quando se trata de Leo, seu primeiro filho. Hoje, o pequeno completou um mês de vida, o que deixou a mamãe coruja comovida. Além de uma homenagem nas redes sociais, ela também teve um breve retorno ao palco, para participar da gravação do novo DVD do pai de Leo, Murilo Huff (leia abaixo).

"Eu só sei chorar hoje. 1 mês que eu renasci", escreveu a sertaneja em sua conta no Twitter. E a declaração na redes social foi só o começo. Em seu Instagram, a dona de diversos sucessos sertanejos sobre o amor, não poupou palavras para mostrar o que sente pelo filho.

"Não sei por onde começar, filho. Assim tem sido os meus dias. o que é isso que estou sentindo? Onde andará a Marília que partiu quando você chegou? Quem ela pensava que era? Ela achava que amava, meu filho. Acredita? É de dar risada, né? Falando em risada, quem ela pensa que era sem conhecer seu sorriso de canto, sem o quente do seu corpinho pequeno, sem seus suspiros no colo, seu olhar lento e confiante, sua tremidinha no lábio inferior quando chora, sem seu cabelinho que passa da nuca, sem seu cheiro que eu não sei explicar? Ela realmente acha que vivia, filho. Eu me lembro vagamente daquela, Marília. Quando grávida, achou que o mundo ia acabar", iniciou.

"Logo após, estudou todos os livros, filmes, dicas, Google, vídeos e etc, criou expectativa sobre o parto, sobre amamentação, romantizou tudo como tudo que ela fazia. Te amou achando que já te amava tudo. Fez planos sem te consultar, sem respeitar sua individualidade, Ela simplesmente QUIS. Era assim que ela era, filho. Eu nasci, quando você nasceu. Naquele momento onde achei que era o meu último suspiro, tocando 'dengo' no fundo, me lembro como se fosse ontem. Doeu, foi selvagem, foi necessário. Ali eu imaginava o que me aguardava e desde lá, vejo que de nada sei, mas você vai me ensinar", afirmou.

não sei por onde começar, filho. assim tem sido os meus dias. o que é isso que estou sentindo? onde andará a marília que partiu quando você chegou? quem ela pensava que era? ela achava que amava, meu filho. acredita? é de dar risada, né? falando em risada, quem ela pensa que era sem conhecer seu sorriso de canto, sem o quente do seu corpinho pequeno, sem seus suspiros no colo, seu olhar lento e confiante, sua tremidinha no lábio inferior quando chora, sem seu cabelinho que passa da nuca, sem seu cheiro que eu não sei explicar? ela realmente acha que vivia, filho. eu me lembro vagamente daquela, marilia. quando grávida, achou que o mundo ia acabar. logo após, estudou todos os livros e filmes e dicas e googles e vídeos e etc, criou expectativa sobre o parto, sobre amamentação, romantizou tudo como tudo que ela fazia. te amou achando que já te amava tudo. fez planos sem te consultar, sem respeitar sua individualidade, ela simplesmente QUIS. era assim que ela era, filho. eu nasci, quando você nasceu. naquele momento onde achei que era o meu último suspiro, tocando "dengo" no fundo, me lembro como se fosse ontem. doeu, foi selvagem, foi necessário. ali eu imaginava o que me aguardava e desde lá, vejo que de nada sei, mas você vai me ensinar. minhas lições no seu primeiro mês de vida: no parto normal descobri que trazer a vida ao mundo ta mais pra intenso do que pra romântico. ao não conseguir amamentar, entendi que sou responsável pelas expectativas que crio e que preciso respeitar o seu tempo e individualidade. ao me ver insegura pra te dar mama na mamadeira ou te dar banho, mesmo sendo tão independente, descobri que é melhor te ver seguro do que alimentar meu ego. descobri que o amor mora em cada dobrinha sua que aumenta e todo dia é um crescimento diferente. ah, descobri que crescer dói. que as lágrimas não são finitas. ainda bato cabeça, filho. ainda choro todo dia. ainda não consigo relaxar. ainda estou insegura. as vezes, machuco as pessoas sem ver, sabe? preciso pedir perdão a minha mãe que mudou de cargo pra vovó, pra sempre. preciso pedir perdão pro seu papai por estar tão perdida assim. e preciso dizer que te amo. todos os dias. como nunca. (continua )

Uma publicação compartilhada por marilia mendonça (@mariliamendoncacantora) em

"Minhas lições no seu primeiro mês de vida: no parto normal descobri que trazer a vida ao mundo ta mais pra intenso do que pra romântico. Ao não conseguir amamentar, entendi que sou responsável pelas expectativas que crio e que preciso respeitar o seu tempo e individualidade. Ao me ver insegura pra te dar mama na mamadeira ou te dar banho, mesmo sendo tão independente, descobri que é melhor te ver seguro do que alimentar meu ego", revelou Marília, explicando alguns acontecimentos da maternidade.

"Descobri que o amor mora em cada dobrinha sua que aumenta e todo dia é um crescimento diferente. Ah, descobri que crescer dói, que as lágrimas não são finitas. Ainda bato cabeça, filho. Ainda choro todo dia. Ainda não consigo relaxar. Ainda estou insegura. Às vezes, machuco as pessoas sem ver, sabe? Preciso pedir perdão a minha mãe que mudou de cargo pra vovó, pra sempre. Preciso pedir perdão pro seu papai por estar tão perdida assim. E preciso dizer que te amo. Todos os dias, como nunca", finalizou.

Leo, que é fruto do relacionamento da cantora com Murilo Ruff, nasceu em 16 de dezembro, em Goiânia (GO). No início do mesmo mês, Marília anunciou uma pausa temporária na carreira para cuidar da maternidade.

A apresentação ao lado de Huff foi breve, mas cheia de carinho, com o casal trocando beijos após cantarem juntos. Veja imagens:

Famosos