PUBLICIDADE
Topo

TV e Famosos

Ex-BBB Diego Alemão paga R$ 7.000 de fiança e deixa a prisão em Curitiba

19.abr.2020 - Ex-BBB Diego Alemão é liberado da delegacia de delitos de trânsito de Curitiba-PR - Eduardo Matysiak/Futura Press/Estadão Conteúdo
19.abr.2020 - Ex-BBB Diego Alemão é liberado da delegacia de delitos de trânsito de Curitiba-PR Imagem: Eduardo Matysiak/Futura Press/Estadão Conteúdo

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Ponta Grossa (PR)

19/04/2020 17h40

Vencedor da sétima edição do Big Brother Brasil (BBB), o empresário Diego Bissolitti Gasques, conhecido como "Diego Alemão", saiu da cadeia ao ter a liberdade concedida no início da tarde de hoje pela Justiça do Paraná, com o pagamento de fiança de R$ 7.000. Ele estava preso desde ontem depois de se envolver em um acidente de trânsito, no bairro Santa Quitéria, em Curitiba.

Segundo o boletim de ocorrência, Diego Alemão teria desacatado e ameaçado os policiais. "Sou famoso, sou influente, seus policiais de m..., eu sei bem a raça à qual vocês pertentem. Sou do BBB, vocês me conhecem, vocês não sabem a m... que vai dar se vocês me prenderem. Eu sou empresário, sou influente, vou acabar com a vida de vocês. Vocês não são capazes, se quiserem vão ter que me deter à força, me algemar", teria dito Alemão, de acordo com o documento lido pela juíza Fernanda Maria Zerbeto Assis Monteiro.

A magistrada condicionou a liberdade de Alemão ao pagamento de fiança, além do "comparecimento bimestral à Justiça" e da "proibição de se ausentar da Comarca onde reside por prazo superior a oito dias, sem autorização judicial". O ex-BBB apresentou como endereço o município de São Bernardo do Campo (SP).

A Polícia Civil confirmou que já recebeu o alvará de soltura expedido pela Justiça e o liberou da cadeia. Segundo a corporação, Alemão dirigia embriagado quando atingiu o carro de um motorista de aplicativo que estava parado no acostamento.

A defesa do empresário informou que as partes acertaram o pagamento de R$ 7.000 pelos danos materiais, mesmo valor posteriormente estabelecido para a fiança, mas passaram a se desentender depois que o motorista de aplicativo teria pedido mais dinheiro.

Um morador presenciou a briga e acionou a Polícia Militar (PM). De acordo com o boletim de ocorrência, Alemão agrediu o motorista e desacatou militares ao ser abordado. Ele foi levado para a Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) de Curitiba, onde aguardou a audiência de custódia.

O advogado do ex-BBB, Jeffrey Chiquino, afirmou que Diego Alemão "não se furtou da responsabilidade" e se colocou à disposição da vítima do dano material para arcar com os prejuízos.

"Decisão acertada da Justiça paranaense em conceder liberdade a Diego Gasques. O fato configurou mero acidente automobilístico, sem vítimas e com prejuízos patrimoniais leves. Em momento algum Diego se furtou de responsabilidade e no local dos fatos, inclusive, se propôs à reparação do dano patrimonial e realizou transferência bancária no valor de R$ 7.000. Os fatos somente tiveram este desdobramento diante das incessantes exigências financeiras feitas pela suposta vítima, sob o pretexto de não expor a imagem de Diego aos veículos de comunicação", comentou o advogado após a decisão da Justiça.

"Sou do BBB", teria dito Alemão para tentar evitar prisão

Diego Alemão ganhou fama ao vencer a edição de 2007 do reality show BBB. Ele chegou a citar o programa aos policiais como argumento para não ser levado à delegacia, conforme consta no boletim de ocorrências reproduzido na íntegra pela juíza.

A magistrada expôs o documento ao concordar com o desacato e as justificativas da Polícia Militar para a prisão em flagrante.

"Sou famoso, sou influente, seus policiais de merda, eu sei bem a raça a qual vocês pertentem. Sou do BBB, vocês me conhecem, vocês não sabem a merda que vai dar se vocês me prenderem. Eu sou empresário sou influente, vou acabar com a vida de vocês. Vocês não são capazes, se quiserem vão ter que me deter a força, me algemar", teria dito Alemão.

De acordo com o documento, apesar de se recusar fazer o teste de etilômetro para saber se havia ingerido bebida alcoólica, Diego Alemão "apresentava visíveis sinais de embriaguez, tais como: hálito etílico, andar cambaleante, fala enrolada, olhos avermelhados e desordem das vestes". Um vídeo que circula nas redes sociais mostra Alemão exaltado.

A defesa de Alemão contesta a versão policial sobre uso de bebida alcoólica. "Esta defesa nega que Diego estava embriagado. E assegura que contribuirá com as investigações e provará sua inocência", garantiu Chiquini.

O advogado ainda alegou que Alemão foi algemado por ser "maior e mais forte que o motorista", o que o fez ficar "muito nervoso".

As investigações seguirão na Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba, que apura no inquérito as infrações de embriaguez ao volante, lesão corporal e desacato.

TV e Famosos