PUBLICIDADE
Topo

Sem trabalho, Rita Cadillac diz que dinheiro não dura até ano que vem

A atriz Rita Cadillac - Simon Plestenjak/UOL
A atriz Rita Cadillac Imagem: Simon Plestenjak/UOL

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

24/06/2020 04h00

Rita Cadillac vive momentos de alegria e de apreensão. Se por um lado ela se anima por estar, pela primeira vez, interpretando uma personagem fictícia na TV —e não a si mesma— ela também se frusta em ver outros projetos paralisados pela pandemia do coronavírus. A situação deixou a ex-chacrete, de 66 anos, com dificuldades financeiras.

É uma luta. Trabalhei muito no Carnaval. O dinheiro está saindo, mas não está entrando. Ninguém esperava isso, ninguém estava com uma reserva tão grande. Eu acho que isso só se resolve no ano que vem, mas você sobrevive até lá como?

Rita, inclusive, recorreu ao auxílio emergencial de R$ 600 do governo durante esse período.

Não foi a Rita Cadilac, foi a Rita de Cássia, cidadã, que sempre pagou impostos, e quer uma ajuda. Por menor que seja, já é algo. Com esse dinheiro você tem que fazer milagre. Fico imaginando uma pessoa que está vivendo só com os R$ 600, realmente não dá.

Rita tem tentado encontrar formas de ganhar dinheiro durante a pandemia, e explica o porquê de ter sido vista fazendo entregas de restaurantes por um famoso aplicativo: foi uma ação para ajudar amigos donos de estabelecimentos.

Entreguei pedidos para oito pessoas. E nesta sexta-feira vou fazer essa mesma ação para entregar pizzas, tudo para ajudar amigos meus. Como posso ajudar? Aparecendo? Então vamos lá! Não estou sendo remunerada, a não ser com amizade.

Segundo ela, embarcar na onda das lives, febre no Brasil todo, não está nos seus planos.

Eu tenho me mantido com o que tenho, não tenho o que fazer. Live e patrocínio? Não sou uma artista classe A, as pessoas não querem patrocinar uma live de uma artista classe B. Está difícil.

"Estou até propondo para o pessoal do teatro para fazemos algo, nem que seja contar uma história. Estou também em negociação com o pessoal de um filme que ia fazer, eles vieram me propor uma espécie de reality da Rita na pandemia, aí deve vir algum dinheiro", relata ela.

Prazer, Cida!

Rita Cadillac em cena da série 'Auto Posto' - Divulgação - Divulgação
Rita Cadillac em cena da série 'Auto Posto'
Imagem: Divulgação

Se por lado Rita lamenta a situação do mundo real, ela comemora o que acontece no mundo fictício. Ontem, ela estreou na série "Auto Posto", do Comedy Central, que gira em torno de um posto de gasolina e a relação conturbada entre seu dono, Nelson (Walter Breda), um ex-cantor, e seus funcionários.

No seriado, Rita vive Cida uma mulher que herdou do pai um fã-clube de Nelson —ele era muito fã do único disco lançado pelo atual dono do posto. Essa é a primeira vez que Rita encarna uma personagem de ficção em uma obra televisiva.

Foi muito legal. Quando recebi o convite, falei: 'Lá vem a Rita Cadillac de novo'. Quando vi que ia ser a Cida, uma personagem, fiquei muito entusiasmada. Teve até cena que saiu de primeira, para mim é um entusiasmo muito grande.

Rita Cadillac vive sua primeira personagem fictícia na televisão - Divulgação - Divulgação
Rita Cadillac vive sua primeira personagem fictícia na televisão
Imagem: Divulgação

Ela destaca sua gratidão pelo diretor e criador da série, Marcelo Botta, que lhe fez o convite e diz que poder atuar no mesmo espaço que atores como Neusa Borges e Robson Nunes foi uma experiência única

Aprendi muito. Fiz questão de assistir mesmo às cenas em que não estava participando. Teve uma cena que eu ria muito, mas muito. Era uma coisa de um cassino clandestino. Foi muito gozado, bem divertido! É diferente do que sempre fiz, é uma experiência.

Rita se diz animada com a carreira de atriz e quer, assim, se livrar do estigma.

Não sou aquela mulher que só dançou, que só botou a bunda para fora. Claro que a Rita Cadillac é aquilo também. Mas posso ser uma personagem: uma mulher velha, uma mulher chique, fazer o papel da esposa. Isso está sendo muito bom para mim.

Pandemia e medo

Rita Cadillac como Cida em 'Auto Posto' - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Rita admite que os dias de pandemia também têm sido difíceis. Pensar no futuro, então, nem se fala. Ela, que sempre fez shows para fãs devotados, agora se vê diante de um dilema: quando vai poder subir no palco novamente?

Está muito difícil, sou uma pessoa muito agitada. Gosto de passear na praça, vou visitar amigos e hoje não posso fazer nada isso, estou presa. No início eu estava mais leve. Quando você vê que não é só um mês, a carga pesa.

Para ela, ficar em casa é a única alternativa, para honrar a trajetória de Rita Cadillac, sua criação mais famosa:

Faço parte do famoso grupo de risco: sou fumante e tenho 66 anos. Já perdi amigos para a covid-19, fica uma coisa na minha cabeça: 'Não posso ir durante essa pandemia, não é esse fim que eu queria para mim. Não quero esse fim para a Rita Cadillac.

Famosos