PUBLICIDADE
Topo

Kelly Key relembra relacionamento abusivo e volta por cima: 'Livramento'

Kelly Key - reprodução instagram
Kelly Key Imagem: reprodução instagram

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

11/07/2020 04h00

Desde bem nova, Kelly Key demonstrava ser uma mulher segura de si e empoderada. Ela começou sua carreira na TV, na Globo, em 1999, aos 16 anos, como apresentadora do programa "Samba, Pagode & Cia". Dois anos depois, assinou contrato com a Warner e estourou com os sucessos "Baba", "Escondido" e "Cachorrinho".

A cantora acaba de lançar um álbum com regravações, chamado "Do Jeito Delas", com participações especiais de várias artistas, entre elas: Luísa Sonza, Preta Gil, Pocah e MC Rebecca. "Cachorrinho", na qual ela narrava uma relação abusiva e começava a se impor, ficou de fora. Ela seria cantada em parceria com Lexa, mas as gravadoras das duas não chegaram a um acordo.

Escrita por Kelly, a música contava uma história real de relacionamento abusivo que a cantora vivenciou, numa época em que o assunto não era tão falado como atualmente.

'Cachorrinho' é muito atual, o que é uma pena, e a gente vem incentivando a mulher a se posicionar para que isso não mais aconteça. A gente já vem conquistando muitas questões, mas essa é uma que ainda pesa bastante e nos entristece muito

Kelly lembra da dificuldade que muitas mulheres enfrentam para sair desse tipo de relação. Com ela, não foi diferente:

Óbvio que não consegui impor limites e esse relacionamento foi por água abaixo. E que bom que ele terminou. No início a gente não entende bem por que ele termina, mas depois a gente vê que foi um livramento e isso é muito bom.

Com sua experiência, ela passou a entender que os limites só são colocados quando a mulher entende que abuso não é amor.

"Quando a gente se olha, começa a entender que as coisas estão erradas, mas não é uma coisa fácil e ninguém sofre porque quer, ninguém apanha porque quer. Me entristece muito mulheres olharem para outras mulheres que viveram relacionamento abusivo e julgarem por isso porque ninguém sofre querendo".

É muito difícil, mas a libertação chega

Casamento na pandemia

Casada com o empresário angolano Mico Freitas, Kelly diz que, ao contrário de muitas mulheres que vêm sofrendo abusos neste período, não enfrentou nenhum tipo de crise por conta do intenso convívio diário provocado pela quarentena, pelo contrário. O contato extremo com toda a família tem sido positivo, ao menos para ela.

O isolamento social foi até importante para a gente. Foi muito bom a gente estar mais junto. Nós cinco estamos nos curtindo. Suzanna [filha] é uma mulher, tem a vida dela, então muitas vezes está na faculdade, no curso, trabalhando e às vezes não coincide com os nossos horários

Além de Suzanna, fruto da relação dela com o cantor Latino, Kelly e Mico são pais de Jaime Vitor e Artur.

O Vitor com a questão da escola, eu pude estar mais à frente disso, e é um desgaste absurdo. Mas é muito bom também porque a gente fica mais participativo. O Tuca sempre foi muito mais próximo por ter uma vida mais dependente e o Mico sempre foi muito meu parceiro de vida

Ela brinca que, antes da pandemia, já vivia um isolamento natural com o marido, já que ela sempre o acompanha nas viagens de negócios para Portugal e Angola e ele também faz os mesmos com os trabalhos dela.

Sempre deu muito certo, nesse momento mais ainda porque a gente está próximo dos nossos meninos que a gente tanto ama e é claro que tem o humor, a parceria, a amizade, isso conta demais

A gente está há quase 20 anos junto, então a gente se respeita muito. Eu entendo quando ele quer ficar na caixinha dele do nada, no silêncio porque também tenho a minha e assim a gente se entende

TV e Famosos