PUBLICIDADE
Topo

Autora de fanfic de Faustão e Selena quer ser escritora e conhecer o ídolo

Faustão e Selena Gomez: uma história de amor improvável - Reprodução/YouTube
Faustão e Selena Gomez: uma história de amor improvável Imagem: Reprodução/YouTube

Daniel Palomares

Do UOL, em São Paulo

20/07/2020 04h00

Eu estava sentada em um canto, com o rosto repleto de lágrimas e maquiagem borrada. De repente, vejo um ser maduro e perfeito passando pelo corredor em direção ao camarim. É o Faustão! Era a minha chance, eu saí correndo e entrei no camarim no mesmo instante em que ele fechou a porta. CONSEGUI! 'Fausto, eu preciso dizer o quanto você me ajudou a superar meus carmas e minha depressão. Você é o motivo da minha existência.' Nunca mais vou soltá-lo, pensei comigo mesma. 'Caraca meu', ele disse.

Tudo começou como uma brincadeira, mas se tornou uma das histórias mais emblemáticas da internet brasileira. A tórrida paixão entre Selena Gomez e Fausto Silva nasceu da cabeça da jovem Erica Mathias lá em 2014, quando ela tinha apenas 12 anos de idade, e se espalhou tanto pelas redes sociais que era até difícil entender quem tinha dado origem ao ship.

mania de fechar os zoio

A post shared by erica (@erica.mathias) on

Virou um surto coletivo, algo de domínio público da internet. Ninguém falava sobre a criação do ship. Senti que virou parte da cultura de memes do Brasil. Mas eu queria ter esse reconhecimento, esse palco para mostrar meu trabalho. Ninguém tinha me procurado.

O repórter que vos fala deu a sorte de encontrar Erica em um grupo de Facebook, divulgando um papo que ela teve com uma amiga no YouTube, contando os detalhes da famosa fanfic #Felena. Agora com 18 anos, a carioca estuda letras e sonha em ser escritora, sem nunca ter imaginando que uma fanfic adolescente tomaria tamanha proporção.

O nascimento do romance

Erica acha que sua personalidade peculiar foi o que a fez pensar em uma história de amor entre pessoas tão diferentes. "Não gosto de coisas padronizadas. Toda fanfic era clichê, sobre Justin Bieber e uma menina voltando do intercâmbio em Londres. Quis ser diferente", relembra. Ela escrevia os capítulos na sala de aula e, graças à história, acabou se tornando fã de Faustão.

O Faustão sempre fez parte da minha vida, querendo ou não. Ele estava presente no meu subconsciente. Ele é um ícone, sempre me refiro a ele na fanfic como o cara perfeito. Pesquisando mais sobre ele, virei faustonete com orgulho!

Erica acha que a graça da história toda é imaginar que alguém poderia ser tão obcecado por Faustão como parecia ser. "Foi um processo divertido escrever. Eu tinha que me colocar no papel dessa pessoa fascinada por ele, viver essa personagem."

Depois do sucesso de Felena, ela sente que abriu portas para outras fanfics pouco convencionais. "Acho que minha fanfic levou a outras. Depois, surgiu o romance da Ana Maria Braga com o Harry Styles. Muitos se inspiraram!", festeja.

Sucesso anônimo

Por muitos anos, mesmo depois da história já ter viralizado na internet, Erica nunca foi reconhecida como autora da fanfic. Ela gostava de ver que as pessoas tinham se divertido, mas sentia receio de revelar que ela era a mente por trás do ship.

Com o tempo, conforme fui crescendo, fiquei frustrada. Quem era a autora? Ninguém comentava! Mas eu quero entrar para o meio midiático, ter essa exposição e conquistar mais pessoas!

Ela nunca entrou em contato com o próprio Faustão, mas imagina que ele já tenha ouvido falar da história. Seu próprio filho, João Guilherme, fez menção ao suposto romance dos dois em um vídeo de 2018.

Sempre tive vontade de conhecer o Faustão, mas nunca tentei um contato direto. Quem sabe agora? Mas tenho vergonha de pensar que ele já tenha lido a fanfic. Fico pensando se a Selena também já viu alguma coisa sobre isso. Será que ela fica pensando 'Por que me associam com esse homem?'

Erica acredita que as fanfics, tão populares entre os adolescentes, abriram portas para que ela fosse reconhecida como escritora e podem estreitar os laços dos jovens com a literatura.

Toda forma de literatura é valida. É um ótimo incentivo para quem já gosta de escrever. Poder exercer sua criatividade, sem ser julgada. É uma revolução que já vem acontecendo. Livros como '50 Tons de Cinza' começaram a partir de fanfics. É muito difícil chegar numa editora, ouvirem sua ideia e ela ser aprovada. Fanfics gratuitas popularizaram o acesso à literatura. A internet é um portal de possibilidades.