PUBLICIDADE
Topo

Televisão

'Amor de Mãe': Manuela Dias conta que trama foi alterada devido à pandemia

Retrato de Manuela Dias - Jorge Bispo/Divulgação
Retrato de Manuela Dias Imagem: Jorge Bispo/Divulgação

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/09/2020 16h05

Apesar de estar suspensa desde março, "Amor de Mãe" teve o seu enredo trabalhado durante todo este hiato. Manuela Dias, a autora do folhetim da Globo, que recentemente retomou às gravações, contou à Época que continuou entregando os capítulos durante os últimos meses.

"Tudo mudava tanto, que só estou entregando tudo nesta semana", contou a autora.

O trabalho em casa, entretanto, não foi nada fácil. Manuela teve que conciliar o tempo com os cuidados da filha, Helena, de 4 anos, e obras na casa. A autora ainda revelou que a pandemia poderá transformar os rumos de "Amor de Mãe".

Para ela, o primeiro impulsou foi não inserir a covid-19 na trama, mas com o decorrer do tempo, abordar a temática se fez necessária para deixar a novela mais realista.

"Quando a Globo terminou de organizar o protocolo, que é testado, questionado, revisto todos os dias, precisei determinar. Então, a novela volta com a pandemia em andamento. Pulei a fase do 'tem de usar máscara' e 'como usa o álcool em gel' e localizei no tempo em que contabilizávamos 8 mil mortos", contou.

Apesar de inserir esse "novo normal", Manuela afirmou que a novela pode acabar tornando-se uma narrativa "de época", já que sua estreia será retomada apenas em fevereiro.

"Como tem uma data marcada, eu sei exatamente o tempo que ela (a pandemia) dura dentro da história. A novela acaba, por exemplo, antes da vacina", adiantou.

A autora ainda defendeu os protocolos que estão sendo adotados na Globo. Apesar de haver críticas sobre as limitações que eles impõem para a trama, ela acredita que por conta disso é possível retomar as gravações.

"O protocolo é maravilhoso porque ele viabiliza, sem ele não tinha como gravar, então, eu amo o protocolo! Tudo que eu puder fazer para compor com ele, eu faço. Não pode esse encontro? A gente faz por Zoom, por videoconferência. Incorporei tudo que a gente está usando na vida", contou.

Do roteiro para a tela

Durante a entrevista, Manuela ainda revelou que possui um apego muito forte à construção dos diálogos dos personagens na trama.

"Sou obsessiva com relação aos diálogos. Inclusive, sou famosa por falar para os atores que não podem mexer no texto, que vou ficar chateada. E fico mesmo. Escrevo os diálogos praticamente sozinha", disse.

"O ator faz a entonação que quiser, o diretor a marcação que quiser... Só não mexe no texto!", completou.

A roteirista ainda afirmou que pretende com o seu trabalho emocionar os telespectadores. "Não tenho nenhuma vontade de defender meu ponto de vista sobre o que é importante para mim. Vale mais a pessoa ver a cena e chorar sem nem entender por que está chorando", defendeu.

"Quando minha protagonista é uma mãe pobre, quase uma índia, que é a Regina, sozinha, lutando pelos filhos, já estou dizendo às pessoas: "Olhem para suas funcionárias. Elas não são figurantes em sua vida, mas protagonistas na vida delas". E isso muda tudo, muda a forma de respeitar."

Televisão