PUBLICIDADE
Topo

Bruno Fagundes mostra seu apartamento industrial de 99 m² no centro de SP

O ator Bruno Fagundes mostrou o seu apartamento industrial localizado no centro de São Paulo - Manuela Scarpa/Brazil News
O ator Bruno Fagundes mostrou o seu apartamento industrial localizado no centro de São Paulo Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News

Do UOL, em São Paulo

09/09/2020 15h09

O ator Bruno Fagundes, filho do ator Antonio Fagundes, mostrou o seu apartamento industrial de 99 m² para a Casa Vogue. Sediado no centro de São Paulo, o ator vive no local há cinco anos, mas revela que ficou um ano buscando pela moradia ideal.

"Fiquei quase um ano procurando pela casa ideal. Na época, visitei mais de 50 apartamentos. Já estava praticamente desistindo quando me deparei com este", explicou.

Bruno contou que não se incomodou com o tamanho mais reduzido do local, e diz que desde a primeira visita se encantou com a enorme janela disponível no apartamento.

"Adoro abri-la e ficar admirando a rua. Sempre gostei de ter luminosidade. Queria um apartamento onde não precisasse acender a luz durante o dia."

Apaixonado por arte e decoração, o ator da série 3%, da Netflix, optou por uma decoração industrial no espaço de 99m² e encontrou até uma viga durante o processo de derrubada de paredes da sala. A descoberta foi considerada como positiva pois está totalmente de acordo com a estética que ele desejava no ambiente.

"Ela [a viga] era praticamente uma obra de arte, então quis deixá-la bem aparente e pensar todo o espaço a partir dela."

A decoração ganha espaço para as memórias afetivas do ator, como é o caso de uma escultura-almofada do artista plástico Gustavo Rocha, que ganhou de presente de seu pai.

"É uma peça muito especial para mim. Ganhei de aniversário do meu pai, ele sabe o quanto gosto de arte. Ela também tem uma questão afetiva, porque o Gustavo e ele [Antonio Fagundes] eram amigos pessoais. Sou apaixonado pelo trabalho dele desde pequeno."

O ator ainda declarou seu amor pelo apartamento, disse que tem noção de seus privilégios e ponderou a necessidade de agradecer todos os dias por ter uma moradia.

"Sempre amei meu apartamento. Mas, na quarentena, fui tomado por uma sensação de amor profundo cada vez maior por esse espaço, porque ele é o meu espaço de proteção."

E conclui: "Tenho completa noção do privilégio que é ter um teto, uma casa e um lugar para dormir. Tem uma coisa que não deveríamos, mas, às vezes, nos esquecemos de fazer: agradecer todos os dias pelo que temos".