PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Ana Paula Valadão culpa homens gays por aids e polemiza em vídeo viral

Do UOL, em São Paulo

12/09/2020 16h16Atualizada em 13/09/2020 11h54

Ana Paula Valadão foi parar entre os assuntos mais comentados do Brasil hoje depois que um vídeo do Congresso Diante do Trono de 2016 em que ela faz declarações consideradas homofóbicas viralizou no Twitter. A pastora e cantora gospel, líder do grupo homônimo, diz, entre outras coisas polêmicas, que ser gay "não é normal".

"Deus criou o homem e a mulher e é assim que nós cremos", afirma Ana Paula, que em seguida é ovacionada pelos presentes na plateia. Ela ainda usa a Bíblia para justificar suas convicções. "A Bíblia chama qualquer escolha contrária a que Deus determinou como ideal, como ele nos criou para ser, de pecado."

O vídeo segue com uma declaração ainda mais polêmica da cantora e pastora, uma das mais conhecidas do meio evangélico.

"A aids está aí para mostrar que a união sexual entre dois homens causa uma enfermidade que leva à morte", diz Ana Paula, contrariando que, independentemente da orientação sexual, qualquer pessoa está vulnerável ao vírus HIV, que pode evoluir para a doença.

Veja o vídeo original (a declaração acontece a partir do minuto 56:35) e o trecho que viralizou hoje no Twitter:

O Congresso Diante do Trono é realizado anualmente e transmitido pela Rede Super de Televisão, onde o vídeo original está hospedado no YouTube. A rede que se intitula "a maior emissora cristã do Brasil" tem sede em Belo Horizonte (MG) e pertence à Igreja Batista da Lagoinha.

Crime de LGBTfobia

Compartilhada no Twitter, a declaração de Ana Paula Valadão rapidamente viralizou, gerando grande revolta. Após a repercussão, a Aliança Nacional LGBTI+ afirmou em nota oficial que vai entrar com um processo contra a pastora por crime de LGBTfobia.

"O discurso de Ana Paula beira ao absurdo, extrapolando a liberdade religiosa e de expressão, tornando-se um discurso odioso, fanático e amplamente desproposital, com consequências potencialmente desastrosas, principalmente para quem a segue", diz um trecho da nota.

"Nos encontraremos nas barras da lei - a lei dos homens e das mulheres. Não se deve acreditar em um Deus como este pregado pela apresentadora, que espalha preconceitos, estigmas e ódio! Se a sua exegese e hermenêutica são essas, as nossas são os artigos 3º e 5º de Constituição Federal cidadã de 1988", continua a nota, citando os artigos que afirmam que todos são iguais perante a lei.

A pastora foi cobrada por um pedido de desculpas e ainda não se manifestou.

O UOL entrou em contato com Ana Paula e a Diante do Trono para um posicionamento e ainda não teve resposta.

Pastora vive nos EUA

Ana Paula Valadão fechou o seu perfil no Twitter, a rede social onde o vídeo mais repercutiu, apenas para quem já a seguia anteriormente.

No Instagram, ela desativou os comentários da última foto postada.

A pastora mora atualmente na Flórida, nos Estados Unidos, e tem uma igreja própria por lá, com grande público brasileiro.

Veja a repercussão:

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado anteriormente, a fala de Ana Paula Valadão foi transmitida em 2016, e não ontem. A informação já foi corrigida.

Televisão