PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Dani Calabresa: Revista denuncia assédios de Marcius Melhem na Globo

Do UOL, em São Paulo

04/12/2020 12h10Atualizada em 04/12/2020 14h50

O ator e diretor Marcius Melhem foi acusado por fontes ouvidas pela revista piauí de protagonizar episódios de assédio sexual, um deles contra a humorista e atriz Dani Calabresa.

Segundo os 43 relatos ouvidos pelo veículo — sendo duas vítimas de assédio sexual, sete de assédio moral e três de ambos os comportamentos —, os episódios aconteceram no ambiente de trabalho e fora dele.

Dani Calabresa teria sido importunada pelo diretor em 2017, quando precisou gravar uma esquete do "Zorra Total" imitando uma cena de "S.O.S Malibu", em que vestiria o maiô vermelho igual de Pamela Anderson.

Melhem foi ao camarim e justificou dizendo que foi "dar uma conferida" no figurino.

No mesmo ano, houve um episódio mais agressivo, com Melhem tocando em Dani.

Em uma comemoração da equipe do programa feita no bar Vizinha 123, em Botafogo, no Rio de Janeiro, para acompanhar a exibição do episódio de número 100, Melhem teria tentado encostar seu corpo ao de Dani enquanto acontecia um karaokê no palco.

Ela se esquivou a todo momento, segundo a descrição das testemunhas. Ele puxou a cabeça dela em sua direção e tentou beijá-la, mas ela esquivou e deixou o palco incomodada.

A investida do diretor continuou. Ela foi ao banheiro e, ao sair, Melhem estava esperando na porta. Melhem tentou agarrar a atriz, que pediu para deixá-la passar.

Ainda de acordo com a revista, ele imobilizou Dani com uma das mãos e, com a outra, forçou ela a lhe dar um beijo.

A atriz teria cerrado a boca e virado o pescoço. Melhem lambeu o rosto dela.

Em seguida, ele colocou o pênis para fora da calça. Dani tentou se soltar e acabou encostando no órgão de Melhem.

Ela voltou ao salão em que acontecia a festa e teve uma crise de choro.

Melhem foi atrás dela novamente

Os testemunhos disseram que o diretor foi atrás de Dani Calabresa três dias após o que houve na festa nos Estúdios Globos no Rio de Janeiro.

Enquanto contracenava com Maria Clara Gueiros, Dani viu que Melhem chegou ao set — o que não era natural, uma vez que ele trabalhava na casa onde os redatores se concentravam.

Ele teria caçoado do episódio e disse que não tinha culpa pelo ocorrido.

"Quem mandou estar muito gostosa?", disse.

Ele foi na direção dela e a amiga Maria Clara pediu para ele deixar Dani em paz.

Ela recusou o pedido de abraço de Melhem.

"Não quero seu abraço nem suas desculpas, você já me agarrou, lambeu minha cara e encostou o pau em mim", afirmou a atriz.

Melhem continuou dizendo que Dani estava "gostosa".

Boicotes

A reportagem lembrou de episódios em 2015 e 2019 em que Melhem agiu para que Dani Calabresa não atuasse em outros produtos da emissora carioca.

Dani seria incluída em um programa dominical de Miguel Falabella, mas foi vetada por Melhem, diretor do "Zorra Total".

Ele teria abordado a humorista e intimidado: "Eu trouxe você para a Globo, eu te protejo aqui dentro da emissora e você quer me trais?".

Em 2019, Dani ofereceu a criação de um programa humorístico. Melhem prometeu que ele ocorreria, mas Melhem postergava.

Após um possível "sim" do diretor e de Daniela Ocampo, a atriz teve uma primeira reunião no apartamento de Melhem em Copacabana com roteiristas para definir acertos do "Fora de Hora".

Dani chegou atrasada de propósito para evitar ficar sozinha com o ator.

Os chefes negaram a ideia de Dani fazer o programa com o humorista Bento Ribeiro. A negativa pegou ela de surpresa. Ela decidiu não realizar o "Fora de Hora", acreditando que não teria uma identidade própria.

Segundo a revista, o boicote e os assédios causaram na atriz crises de vômitos e que "suava e ficava com a boca seca" quando passava a catraca da emissora.

Dani saiu do elenco do "Zorra Total" e viajou para o exterior. Ela tomou a decisão de acionar Monica Albuquerque, chefe de Desenvolvimento e Acompanhamento Artístico para relatar as queixas.

Melhem rebate

Sobre a reportagem, Melhem disse à revista que "a sentença estava dada" e que nada que falasse "sobre fatos distorcidos ou cenas que jamais ocorreram vai mudar esse perfil construído de abusador, quase psicopata".

O diretor disse que jamais tentou forçar alguém a algo e que o objetivo é a "condenação" dele "perante a opinião pública".

Em março, o colunista do UOL Mauricio Stycer informou que Melhem foi absolvido das acusações de assédio pelo comitê de ética e compliance da Globo

Famosos