PUBLICIDADE
Topo

Gilberto Gil diz que controlava dieta de Preta: 'Vigilante do peso'

Gilberto Gil confessou preocupação com a dieta, afirmando que vigia alimentação "até do porteiro" - Reprodução/Instagram
Gilberto Gil confessou preocupação com a dieta, afirmando que vigia alimentação "até do porteiro" Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/12/2020 12h59Atualizada em 21/12/2020 13h02

A esposa de Gilberto Gil, Flora, "entregou" o lado controlador do marido ao contar que ele costumava dar broncas na filha Preta por conta de sua dieta.

Em entrevista ao jornal O Globo, o cantor baiano confirmou seu lado "vigilante do peso", mas defendeu que os seus cuidados com a alimentação da família são uma questão de saúde, e não de estética.

"Ela ligava para a cozinha para ver se o pai tinha saído, de tanto que ele a controlava", lembrou Flora sobre o comportamento de Preta, ao falar do lado "bravo" do marido.

"Sou uma espécie de vigilante do peso, não só da família, mas de todo mundo. Até do porteiro. É um hábito que eu adquiri, não pela estética, mas pela saúde", confessou Gil, de 78 anos, que afirmou que a maturidade aumentou sua preocupação com o bem-estar.

"Depois que a gente chega a uma certa idade, tem poucas ambições, sabe? As minhas são a boa saúde, para ficar o maior tempo possível com a família e, claro, a boa morte", detalhou o cantor, defendendo a naturalidade de pensar na "passagem" para outro plano.

"A morte passa a ser uma perspectiva no horizonte, como os barcos que se aproximam, e esse é um papo que a gente precisa ter consigo mesmo, ainda que não o estenda aos circunstantes", afirmou ele. "Peço a Deus, sendo Deus esse grande ente responsável pela consciência humana, uma passagem tranquila".

Apesar de manifestar o desejo de passar mais tempo com a família, o cantor continua ativo na vida profissional, com um projeto novo acompanhado da neta Flor, de 12 anos, filha da chef e apresentadora Bela Gil.

Durante a quarentena pela covid-19, os dois lançaram o EP "De avô para neta", em que os dois recriaram canções clássicas do artista.

O projeto foi resultado dos três meses que a menina passou na casa de Gil, longe dos pais. A aproximação foi resultado de uma situação inesperada: O cantor estava na Dinamarca, acompanhado por Flor, para a apresentação que fecharia a turnê "OK OK OK" quando foi decretado o isolamento obrigatório no Rio de Janeiro.

Na volta da viagem, com o show cancelado um dia antes da realização, avô e neta tiveram que passar por duas semanas de quarentena de segurança, que acabaram virando três meses.

"Éramos só eu, Flor, minha mulher, Flora, e Nara, minha filha mais velha. Foi um período muito interessante, de conversas profundas. Nara é suave, além de inteligente e engajada. E Flor, uma menina extremamente precoce no sentido dos interesses múltiplos e da capacidade de foco", diz Gil.

"Ela tem uma luz e uma disciplina impressionantes. Quando tinha 10 anos, fez uma homenagem para mim, no programa do Márcio Garcia,que me levou às lagrimas: cantou "Ver o mar", tocando ukelele direitinho", elogiou Preta, tia da menina, que estava presente na entrevista, em um hotel do Rio.

Flor também deu seu parecer sobre o tempo com o avô, exaltando seu bom humor ao ser questionada se algo o tirava do sério durante a convivência dos dois.

"Ele é divertido até quando fica bravo", concluiu a menina.