PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Morre Rémy Julienne, que dirigia carros de 007 em perseguições, de covid-19

Rémy Julienne no set de um dos filmes de "007" - Reprodução/Twitter
Rémy Julienne no set de um dos filmes de '007' Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

22/01/2021 13h35

O motorista e coordenador de dublês Rémy Julienne, que trabalhou em vários filmes de "007" organizando cenas de ação, especialmente perseguições de carro, morreu ontem, aos 90 anos, por complicações da covid-19.

A notícia foi confirmada pelo Deadline. Julienne foi internado após contrair a doença, no começo do mês, e não resistiu aos sintomas.

A trajetória da carreira do dublê, nascido na França, é curiosa: nos anos 1950, ele era piloto de motocross, e foi chamado para dirigir a moto do protagonista Jean Marais nas cenas de ação de "Fantomas" (1964).

Rémy Julienne filma em cima de uma moto no set de 'La Gifle' (1974) - Gamma-Rapho via Getty Images - Gamma-Rapho via Getty Images
Rémy Julienne filma em cima de uma moto no set de 'La Gifle' (1974)
Imagem: Gamma-Rapho via Getty Images

A partir dessa primeira experiência, ele pegou gosto pelo cinema e engatou uma carreira de mais de 200 títulos, incluindo seis filmes de 007: "Somente Para os Seus Olhos" (1981), "Octopussy" (1983), "Na Mira dos Assassinos" (1985), "Marcado Para a Morte" (1987), "Permissão Para Matar" (1989) e "GoldenEye" (1995).

Fora da franquia de espionagem, ele também trabalhou em filmes como "Um Golpe à Italiana" (1969), "Sheena, a Rainha das Selvas" (1984), "O Código Da Vinci" (2006) e "Resgate em Alta Velocidade" (2013) — que acabou sendo seu último longa.

Nas filmagens de "Taxi 2" (2000), Julienne foi inicialmente responsabilizado por um acidente que matou o cameraman Alain Dutartre, passando seis meses na prisão. Após longo processo, no entanto, a produtora EuropaCorp, de Luc Besson, assumiu parte da culpa pelo acontecido.

Famosos