PUBLICIDADE
Topo

TV e Famosos

Bruna Marquezine desabafa sobre interesse das pessoas em sua vida pessoal

Bruna Marquezine fala sobre papel como influencer - Reprodução/Instagram
Bruna Marquezine fala sobre papel como influencer Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/01/2021 09h05

Bruna Marquezine acumula mais de 40 milhões de seguidores no Instagram e sabe que tudo que faz vira notícia.

Em entrevista à "Glamour", a atriz abriu o coração sobre a carreira e o peso em ser uma influencer. "Nós estamos expostos a muitas opiniões. Se você não busca o autoconhecimento, se os seus valores não estão claros e não tem uma rede de apoio muito fiel e segura ao seu redor, é muito fácil você se deixar levar e acreditar na opinião alheia, seja ela positiva ou negativa. É um meio muito competitivo. Se acredito em um Deus que diz que tem algo reservado para cada um de nós, nem penso em me permitir afetar por comentários maldosos".

Sobre o peso da vida pública, ela desabafou ao mencionar que muitas vezes via sua vida resumida aos seus relacionamentos, em especial com o jogador Neymar. "O fato de dar entrevistas gigantes abordando assuntos tão relevantes, importantes e principalmente para falar sobre meu trabalho, que é o que eu tenho de mais precioso, para trocar com o próximo e sempre [os jornalistas] deixavam uma pergunta para o final, sobre minha vida pessoal, sobre meu relacionamento [com o jogador Neymar] que acabou virando público por ambos os lados. Era sempre muito frustrante ver a chamada da entrevista resumida a um namoro. Eu sentia que tinha perdido meu tempo, depois de horas de entrevistas falando sobre coisas que amo falar e via que tudo aquilo foi resumido a um namoro".

Feminismo

Ativa em suas redes sociais, Bruna é assunto quando o tema é feminismo. Na entrevista, ela se diz orgulhosa por ser um exemplo, mas afirma que luta por diversas causas.

Fico feliz de ter uma voz que algumas pessoas se interessam pelo que eu acredito e luto. Obviamente poderia abraçar essa causa em silêncio, que é também muito importante: o que vale mesmo são nossas atitudes no dia a dia. Abraçar essa causa, além de protestar, é um exercício diário, é uma luta pela igualdade, uma luta pela empatia e nunca se conformar com as coisas que estão do jeito que estão

Já abracei diversas causas e continuarei abraçando diversas causas e movimentos, sempre que achar necessário. Na verdade, acho que vai até além. Não é só uma causa. A pergunta deveria ser: 'para quem não abraçou o feminismo, por que você ainda não entendeu?'. Não consigo entender, quem de alguma forma, se recusa a aceitar isso. Qual é a questão que se perdeu para todos entender. São conceitos tão óbvios, tão claros e necessários. Quando você me pergunta, é tão obvio, que é quase estranho responder essa pergunta. Já tem alguns anos que começamos a escutar sobre o feminismo e comecei a entender algumas posturas, práticas e situações que vivemos diariamente só por ser mulheres. Às vezes a nem percebemos. Eu falo em um lugar de privilégios, mas só de pensar quantas mulheres passaram por casos trágicos e histórias irreversíveis...

Planos para a carreira

Bruna revelou que não pretende deixar de atuar. Fora das novelas desde 2018, quando protagonizou "Deus Salve o Rei" (Globo), ela tem se dedicado a outros projetos. Atualmente, ela está focada na série "Maldivas", produzida pela Netflix.

"Meu sonho é continuar atuando, sonho em ser atriz até ficar velhinha. Nunca vi minha carreira dividida, uma na TV, outra no cinema, outra no teatro. Eu enxergo como a minha trajetória, minha carreira, onde quer que seja. Onde eu me sentir desafiada, encantada eu vou trabalhar. Não vejo minha carreira fragmentada em fases ou tipo de obras. É um todo, quero sempre continuar trabalhando", afirmou.

TV e Famosos