PUBLICIDADE
Topo

Morre Hal Holbrook, indicado ao Oscar por 'Na Natureza Selvagem', aos 95

Hal Holbrook como Ron Franz em "Na Natureza Selvagem" - Reprodução/YouTube
Hal Holbrook como Ron Franz em 'Na Natureza Selvagem' Imagem: Reprodução/YouTube

Do UOL, em São Paulo

02/02/2021 08h08

O ator norte-americano Hal Holbrook, indicado ao Oscar pela performance em "Na Natureza Selvagem" (2007), morreu aos 95 anos no último dia 23 de janeiro. A informação foi confirmada apenas hoje pelo The New York Times.

A assistente do ator, também conhecido como o informante Garganta Profunda de "Todos os Homens do Presidente" (1976), deu a notícia ao jornal sem citar a causa da morte.

Teatro, TV e cinema

Holbrook era figura carimbada do showbusiness norte-americano desde os anos 1950, quando desenvolveu um monólogo teatral onde interpretava o escritor Mark Twain. Ele venceu um Tony (o Oscar do teatro) pela peça, e se tornou um astro ao aparecer no programa de TV "The Ed Sullivan Show" apresentando trechos.

Nos anos 1970, brilhou em minisséries e telefilmes como "The Bold Ones: The Senator", "Pueblo" e "Lincoln", pelos quais recolheu seus três Emmys da carreira. Papéis em "Júlia" (1977), "A Bruma Assassina" (1980), "Wall Street: Poder e Cobiça" (1987), "A Firma" (1993) e "Homens de Honra" (2000) o mantiveram em evidência nos cinemas.

Retorno inesperado

O sucesso de "Na Natureza Selvagem", no entanto, catapultou a carreira de Holbrook para uma renascença inesperada quando o ator estava na casa dos 80 anos. No filme de Sean Penn, ele interpretava um solitário viúvo que se oferece para adotar Chris McCandless (Emile Hirsch) perto do final de sua jornada.

Depois disso, apareceu em filmes como "Água Para Elefantes" (2012) e "O Protetor" (2015), e séries como "Sons of Anarchy" e "Bones". Seus últimos trabalhos foram em 2017, com participações em episódios de "Grey's Anatomy" e "Havaí 5-0".

Holbrook, que foi casado três vezes (a última com a atriz Dixie Carter, entre 1984 e 2010, data da morte dela), deixa três filhos.