PUBLICIDADE
Topo

Adriana Esteves sobre Thelma: "Carminha deve ter ficado assustada"

Adriana Esteves é entrevistada no Conversa com Bial - Reprodução/Vídeo
Adriana Esteves é entrevistada no Conversa com Bial Imagem: Reprodução/Vídeo

Colaboração para o UOL

24/02/2021 03h04

Adriana Esteves revelou que acredita que Carminha, a icônica vilã interpretada pela atriz no fenômeno "Avenida Brasil" (2012), deve ter ficado assustada com as vilanias de Thelma, megera que tomou conta da reta final da primeira fase de "Amor de Mãe" (2019).

"Tudo que Carminha fez com Nina, Thelma fez mais com Lurdes", comentou Adriana durante a madrugada de hoje, em entrevista ao Conversa com Bial. Adriana, Taís Araújo e Regina Casé, protagonistas da história, conversaram com o apresentador sobre a trama de Manuela Dias.

Regina Casé aproveitou o gancho e brincou sobre o começo da novela, quando ambas acreditavam que a personagem ainda era boa. "Eu não acreditava que ela podia ser aquilo tudo", confessou Adriana. Na história, a personagem da atriz comprou Domênico (Chay Suede) ainda criança, filho sequestrado de Lurdes (personagem de Regina). Nos últimos capítulos exibidos, a personagem chegou a matar para evitar que o segredo fosse descoberto.

Regina Casé comentou também sobre o estranhamento de retornar as gravações após meses em casa devido a pandemia. "A primeira vez era de máscara. Demorou muito até chegar a cena sem máscara. A gente tava tão trancado e tão acostumado", contou. Aos risos, Adriana retrucou: "Mesmo testada, dava medo".

As atrizes não deixaram de falar sobre a pandemia de covid-19 ser inserida na trama, em seu retorno marcado para o dia 15 de março. "A novela é um gênero mais que realista, é naturalista. A pandemia trouxe para o nosso trabalho uma proximidade ainda maior. É um negócio que nunca aconteceu. (...) Pela primeira vez, as pessoas na novela estão vivendo o que a gente está vivendo. Isso eu acho ainda mais histórico que a pausa (na exibição)", contou Regina.

No bate-papo, Regina Casé contou ainda sobre o sentimento ao retornar as novelas após um bom tempo afastada do gênero e não economizou elogios para suas parceiras de cena. "Eu tinha 0 vivência de Projac, se eu ainda sabia atuar. As duas pareciam veteranas, me pegaram no colo e cuidaram de mim."

Quarentena

O assunto convivência na quarentena também foi abordado. Ao ouvir de Pedro Bial que Lázaro Ramos era um "monge", Taís Araújo retrucou:

"O Lázaro não é um monge. Não aguento essa história. Só porque sou mais para a frente, aí as pessoas falam "Nossa, o Lázaro é tão calminho", aí eu fico levando a fama", contou a intérprete de Vitória, aos risos, complementando que às vezes ele tem seu tempo e ela tem o dela e às vezes, ela ficava nervosa porque ele ficava muito calmo.

Adriana Esteves contou que passou pelo período vendo bons filmes e bons programas, se produzindo mesmo que para comer um cachorro-quente na sala e procurando sempre se manter otimista.

Amor de Mãe

A trama de Manuela Dias, paralisada em março de 2020 após o início da pandemia, retorna com mais 23 capítulos inéditos a partir do dia 15 de março, a fim de encerrar a trajetória de Lurdes. Com isso, Amor de Mãe chegará ao fim com 125 capítulos, a menor do horário em muito tempo.

A novela marcou não só a estreia da autora de "Justiça" (2016) no horário nobre da emissora, como também se destacou por ser o retorno de Regina Casé e com um personagem fixo em uma trama desde "As Filhas da Mãe" (2001), uma nova protagonista para Taís Araújo após o fracasso de "Viver a Vida" (2009) e a terceira vilã seguida de Adriana Esteves na faixa após "Avenida Brasil" (2012) e "Segundo Sol" (2018).

O Conversa com Bial vai ao ar de segunda a sexta-feira, após o Jornal da Globo.