PUBLICIDADE
Topo

Karol Conká relembra racismo na infância e nega ser vilã

Karol Conká falou sobre a rejeição pós BBB no "Fantásico" - Reprodução/TV Globo
Karol Conká falou sobre a rejeição pós BBB no "Fantásico" Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

28/02/2021 20h13

Em entrevista ao "Fantástico" hoje, Karol Conká diz que não se sente uma vilã: "Sinto que sou uma pessoa que cometeu erros, teve um deslize e ficou achando que aguentaria".

Ela relembra episódios de racismo que sofreu na infância, e explica que desde então tem dificuldades para mostrar seu lado vulnerável. E admite: considera o que fez com outros participantes do BBB 21 um tipo de abuso psicológico.

Karol conta que sofria racismo na escola. Ela chegou a passar água sanitária na pele, após ouvir de um colega que precisava ficar mais clara.

Quando criança, seu pedido para o Papai Noel era ser branca. Até professores reforçavam o racismo:

Já teve momentos da professora falar: "você não consegue resolver a equação porque você é negra, você nasceu para limpar privada".

Ela criou a personagem "Karol Conká" ainda na escola, quando começou a escrever rap: "Foi no colégio, tipo uma gincana. Cada um entregava uma coisa e eu falei 'deixa que eu escrevo um som'".

Aí os meninos pararam de mexer comigo, não era mais aquela neguinha. Eu já era Karol Conká.

Quem deve ser eliminado do 'BBB 21'?

Globo/João Cotta
Arthur
Globo/João Cotta
João Luiz
Globo/João Cotta
Pocah
votos

Valide seu voto

captcha

Caso não consiga ler, ouça o que está escrito.

Valide seu voto

A votação do UOL não possui caráter cientifico ou influência sobre o resultado do programa da TV Globo