PUBLICIDADE
Topo

Na Record, Mariana Godoy critica governo: 'Vacina não é pãozinho'

Mariana Godoy opina sobre posição do governo  - Reprodução / Instagram
Mariana Godoy opina sobre posição do governo Imagem: Reprodução / Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/03/2021 14h06

Mariana Godoy, contratada recentemente pela Record, alfinetou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na última sexta durante o 'Fala Brasil'.

Na ocasião, a âncora do jornal criticou a atuação do político em relação à pandemia do coronavírus, principalmente em relação às vacinas. "O presidente diz que não tem vacina no mundo para comprar. Não tem porque o Brasil não encomendou. E quando a própria Pfizer ofereceu, lá no ano passado, o Brasil recusou", começou Mariana.

A profissional ainda lembrou que na ocasião, o então ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, classificou a proposta como "pífia".

Ela então seguiu seu raciocínio. "Se o Brasil tivesse feito o pedido no ano passado, junto com os outros países, ninguém precisaria hoje pedir por vacina. Agora, com meses de atraso, o Brasil deve finalmente assinar esse acordo para comprar 100 milhões de doses da Pfizer. Comprar isso hoje significa receber 8 milhões até junho, mais uns 32 milhões a partir de setembro e quase 60 milhões só no mês de dezembro, no fim do ano", disse.

No mesmo dia, o Ministério da Saúde anunciou negociação para compra de 63 milhões de doses da vacina da Moderna. "A entrega vai ser de 13 milhões no segundo semestre deste ano e 50 milhões só em janeiro de 2022, no ano que vem", comentou Mariana.

Finalizando seu raciocínio, a profissional ressaltou que o medicamento não é de fácil acesso. "Vacina não é pãozinho, não sai de hora em hora na padaria da esquina. Quem quer mesmo tem que encomendar, isso é planejamento, é isso que se tem que fazer, em acordo com todos os estados", concluiu.