PUBLICIDADE
Topo

Nicole Bahls desmente 'teste do sofá' no Pânico e revela sua pior gravação

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/03/2021 21h53

Nicole Bahls relembrou seu tempo no programa 'Pânico' em participação no podcast de Rafinha Bastos, 'Mais que 8 minutos'.

A musa contou como foi seu primeiro contato com o programa, e disse que foi fazer o teste com uma amiga que depois fez participações em novelas da Globo. Quando questionada sobre como teria sido o teste, ela respondeu: "Biquíni!", aos risos. Rafinha contou que a pergunta que seus seguidores mais queriam que ela respondesse era se havia um 'teste do sofá' para conseguir participar do 'Pânico', e Nicole desmentiu esse boato. "Graças a Deus nunca teve isso no 'Pânico'. Eu tenho eles como minha família, sou eternamente grata. Então nunca teve isso, nunca precisou", disse ela.

Nicole falou mais sobre como era o ambiente de trabalho no programa: "Comigo nunca foi tóxico. Comigo sempre foi maravilhoso. Eu tinha algumas gravações que eram sacaneadas, tipo, de passar frio, medo de altura... às vezes aconteciam algumas coisas que eram meio 'punk'. Mas não (posso dizer) que eu não sabia o que eu ia passar", contou ela, e completou: "Eu acho que a gente passa nessa vida o que a gente se permite passar. Sou muito grata a eles e nunca fui forçada a fazer nada no 'Pânico'".

Rafinha perguntou qual foi a gravação que a ex-panicat achou mais difícil. "Uma das mais difíceis foi uma do (quadro) 'Se beber, não dirija - o Pânico dirige para você', porque na época eu não bebia nada ainda. Eu aprendi a beber com 29 anos. E aí uma limusine deu um freio e o baldinho de vômito voou (em mim). E aí não tinha tempo de fita, não podia parar a gravação, eu só passei um paninho e fui até a casa da pessoa cheia de vômito na cara", desabafou Nicole.

Apesar dos perrengues, a modelo diz sentir saudade do tempo em que trabalhou no programa de humor, e revelou o que mais pesou para sua saída: "Quando a Sabrina (sato) saiu... eu amava trabalhar com a Sabrina. E aí a Sa saiu e eu comecei a ficar meio borocoxô, meio perdida, meio avulsa no programa. E o Evandro também saiu, e eu amava também gravar com ele. Então foram saindo pessoas com quem eu me identificava, que era bom, que eu sentia vontade de ir trabalhar para encontrar (com) eles. E a Sa levou muito da identidade do programa, do humor leve. Depois, no final, o humor tava começando a ficar meio agressivo", disse ela. Mas Nicole disse que gostava muito do que fazia, afirmando: "Eu fazia o que eu amava".