PUBLICIDADE
Topo

Especialistas analisam erros em 'Amor de Mãe' em cenas sobre covid

Thelma (Adriana Esteves) e Lurdes (Regina Casé) se encontram sem máscaras em "Amor de mãe" - Reprodução/Globo
Thelma (Adriana Esteves) e Lurdes (Regina Casé) se encontram sem máscaras em 'Amor de mãe' Imagem: Reprodução/Globo

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

29/03/2021 11h58

Desde que voltou ao ar, a nova fase de "Amor de Mãe" se passa na pandemia. Até aí, tudo bem, se não bastasse as notícias tristes da vida real sobre a covid-19, com números crescentes de morte no Brasil que o telespectador assiste no "Jornal Nacional" e emenda com cenas pesadas na ficção de Manuela Dias.

O problema é que, além disso, a novela tem exibido erros graves sobre os cuidados que as pessoas devem tomar para evitar a contaminação.

Lurdes (Regina Casé), que é do grupo de risco, foi ao encontro de Thelma (Adriana Esteves) na semana passada sem máscara. Tem sido frequentes também cenas em que apenas um dos personagens usa máscara e outro não.

De acordo com a professora da UFF Regina Flauzino, que é sanitarista e especializada em vigilância à saúde, não há justificativa para estas cenas.

Independente de já ter sido vacinado ou ter sido acometido pela doença, as pessoas devem fazer uso da máscara e manter todas as medidas preventivas como a higienização das mãos e evitar aglomerações, afim de evitar a transmissão da doença.

Em outra cena errada, Lígia (Malu Galli) disse a Magno (Juliano Cazarré) que, por já terem sido infectados pelo vírus, os dois poderiam ficar sem máscara de proteção em um mesmo ambiente fechado. Eles jantaram juntos e até se beijaram!

Outro erro de 'Amor de Mãe', foi quando Lígia (Malu Galli) e Magno (Juliano Cazarré), se encontraram, tiraram as máscaram alegando que já tiveram covid e até se beijaram - Reprodução/Globo - Reprodução/Globo
Outro erro de 'Amor de Mãe', foi quando Lígia (Malu Galli) e Magno (Juliano Cazarré), se encontraram, tiraram as máscaram alegando que já tiveram covid e até se beijaram
Imagem: Reprodução/Globo

Conforme o colunista do UOL, Maurício Stycer adiantou, desde o dia 19, a Globo acrescentou uma cartela, ao final de cada capítulo de "Amor de Mãe", com advertência sobre os riscos de transmissão da covid-19 e um incentivo à população para manter todos os cuidados.

A sanitarista reforça que não é indicado ficar sem máscara de proteção em ambiente fechado, mesmo que as pessoas já tenham sido infectadas, pois não é seguro afirmar que os já infectados não transmitam o vírus.

"A doença é nova, ainda não há evidências científicas de quem contraiu covid-19 não possa infectar novamente e transmitir a doença. Todo cuidado é pouco. Mesmo os pacientes curados precisam manter as recomendações para evitar a transmissão da doença, e isso inclui o uso de máscaras. Não é possível relaxar".

Segundo um estudo publicado hoje na revista científica The Lancet, idosos são mais propensos a uma reinfecção por covid-19.

No primeiro capítulo inédito após o retorno da novela, Álvaro (Irandhir Santos) usou uma máscara de plástico e aberta, sem qualquer tipo de vedação, o que não tem eficácia para proteger contra o coronavírus

Globo se manifesta

Em nota, a Globo informou: "Quando a novela foi gravada, não havia conhecimento sobre a reinfecção de covid-19. Hoje, sabemos que ela acontece e, como a novela já foi toda gravada, vamos exibir, ao final do capítulo, uma cartela que esclarece a situação e incentiva que a população mantenha todos os cuidados".

Apesar de ter saído sem máscara de casa, Lurdes é neurótica quando os filhos chegam em casa com alguma encomenda e lembra logo a importância de passar álcool 70 nas mãos e em produtos. Só que a personagem exagerou e tratou de "dar um banho" no filho Ryan (Thiago Martins), incluindo no rosto e acabou caindo nos olhos!

De acordo com o oftalmologista Bruno Fontes, da Lúmmen Oftalmologia, queimadura com álcool é comum. Se a pessoa deixar cair álcool 70 nos olhos, o ideal é lavar muito abundantemente com água corrente, de preferência água filtrada gelada.

"Em geral, não leva a lesões muito sérias ou irreversíveis, gera muita dor, desconforto e ardência no paciente. Muitas vezes causa a perda do epitélio, que é a camada superficial. Quando isso acontece, a gente tem que colocar uma lente teurapêutica, usar algum antibiótico colírio para prevenir infecção e ajudar na cicatrização. O álcool arde bastante, mas na maioria das vezes não causa uma sequela permanente".

Além da irritação na mucosa, a professora Regina ressalta que, em caso de ingestão acidental ou intencional do álcool, este é absorvido pelo trato gastrointestinal.

"As manifestações clínicas da intoxicação vão ser semelhantes àquelas causadas pela intoxicação por etanol, tais como tonturas, náuseas, vômitos, alterações na fala ou perda de controle sobre os movimentos do corpo".

Cena de Betina (Isis Valverde) em "Amor de Mãe" - Reprodução / TV Globo - Reprodução / TV Globo
Cena de Betina (Isis Valverde) em "Amor de Mãe"
Imagem: Reprodução / TV Globo

Outra falha exibida em "Amor de Mãe" foi a cena que mostrou a enfermeira Betina (Isis Valverde) usando uma máscara que não recomendada para profissionais da saúde: o modelo KN95.

"De fato, a máscara modelo KN95 não cumpre exatamente os mesmos requisitos das máscaras recomendadas para profissionais de saúde que são os modelos N95 /PFF2. A KN95 possui elásticos atrás das orelhas que não garantem a mesma vedação que as N95/PFF2, além do mais existem muitos modelos falsificados que não cumprem a filtragem equivalente as N95 /PFF2. As máscaras ideais são aquelas que os elásticos vão atrás da cabeça", explica Regina.

Novela influencia o telespectador?

Doutor em Teledramaturgia Brasileira e Latino-Americana pela USP, Mauro Alencar diz que uma obra artística normalmente parte da premissa de unir a ficção criada pelo autor com um pano de fundo social.

Mauro, autor do livro "A Hollywood Brasileira - Panorama da Telenovela no Brasil" lembra que a produção ficcional retira matéria prima da sociedade para a sua construção diária, como aconteceu ao tratar o divórcio em "Escalada" (1975) ou com a aprovação do Estatuto do Idoso alavancado pela trama de "Mulheres Apaixonadas" (2003). Ele não acredita que a teledramaturgia influencie diretamente na vida dos brasileiros como o mau exemplo nas falhas apresentadas nas cenas sobre a covid-19, por exemplo.

"O público passou a compreender cada vez mais os processos da arte, a feitura do universo da ficção. O intocável foi sendo desmontado aos poucos e atualmente todos podem fazer parte do show, ampliando inclusive a celebrada conclusão social e artística e Andy Warhol: os tais 'quinze minutos de fama'".

Uma novela com tom realista como "Amor de Mãe", segundo Mauro, escrita com a vida e as notícias quentes, em constante transformação, "é passível de uma retratação da realidade hoje e no instante seguinte, precisar alterar ou corrigir o rumo dado anteriormente".

"De qualquer maneira, uma história criada por um autor, com seus atores, diretores e embalada como produto artístico é antes de mais nada uma recriação da realidade. E, de um modo ou de outro, consegue retratar por meio da arte a complexa teia da vida".