PUBLICIDADE
Topo

Autor de "Milla" critica Netinho por protesto pró-Bolsonaro: "débil mental"

Manno Góes e Netinho - Reprodução/Facebook/Montagem UOL
Manno Góes e Netinho Imagem: Reprodução/Facebook/Montagem UOL

Do UOL, em São Paulo

02/05/2021 15h44

O músico Manno Góes, compositor de "Milla", criticou duramente o cantor Netinho por cantar a música na manifestação pró-Bolsonaro na Av. Paulista, em São Paulo, ontem. O artista foi um dos destaques na passeata que pedia, entre outras coisas, intervenção militar.

O compositor, integrante da banda Jammil e Uma Noites e autor de alguns dos maiores hits do carnaval baiano, tem protestado ativamente contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em seu Twitter, disse que já entrou na Justiça para retirar os vídeos que a música aparece na manifestação do ar.

"Netinho ontem cantou Milla no ato em que pessoas brancas, na Paulista, gritavam 'eu autorizo', para Bolsonaro. Autorizam o que? Golpe militar?", questionou Góes, que completou dizendo que não autoriza mais o "débil mental" a cantar a música.

Não é a primeira vez que Góes se posta ativamente contra Bolsonaro. Em sua bio do Twitter, o compositor se define como "antifascista" e pede a defesa do SUS (Sistema Único de Sáude). Desde a eleição, Góes se posta contra Bolsonaro. Na semana passada, por exemplo, criticou o governo pela tentativa de não realizar o Censo 2021. "Apesar de você, o Brasil vai seguir", disse.

Netinho, por sua vez, que teve como principal hit da carreira a música composta por Góes, sempre apoiou o presidente. Em 2020, participou de uma live com Bolsonaro, que também cantou "Milla". Góes fez as mesmas críticas à época.

"Artistas baianos bolsominions: Tuca [Fernandes], Levi [Lima], Netinho... Tidos [sic] cantaram Milla. Meu Deus! Que mal eu fiz?", questionou o compositor em janeiro.