PUBLICIDADE
Topo

Suzana Alves sobre largar Tiazinha: 'Não tinha vida, ela era maior que eu'

Suzana Alves como Tiazinha, nos anos 1990 - Reprodução
Suzana Alves como Tiazinha, nos anos 1990 Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

02/05/2021 09h48

Suzana Alves estava no auge quando decidiu largar a personagem Tiazinha, que a lançou para o estrelato no final dos anos 1990. Em entrevista à coluna de Patrícia Kogut, ela contou porque teve a atitude de se afastar da imagem sensual da dançarina.

Agora eu dou risada, mas deviam pensar: 'Que maluca, radical'. [...] Quando eu decidi, percebi que não estava feliz. Tinha tudo, mas o que eu queria mesmo para a minha vida, que era estudar, terminar a faculdade, viajar, ter uma família, eu não tinha tempo para fazer. [...] A personagem já estava maior do que eu. A Suzana não tinha uma vida própria."
Suzana Alves sobre largar Tiazinha

Ela ainda contou que era difícil ter uma vida amorosa saudável quando seu corpo era exposto na TV o tempo todo.

"Pensava que ninguém ia me amar de verdade. Os homens se aproximavam de mim por interesse, eu não tinha paz. Me sentia solitária, protegida de todo mundo, com segurança, motorista etc. Me sentia num castelo inatingível", comentou.

Quando tomou a decisão, Suzana já sabia que não seria fácil construir uma nova carreira longe da Tiazinha — "amigos" se afastaram dela quando a fama e o dinheiro saíram da equação, por exemplo.

Em nenhum momento eu quis voltar atrás, nem nos mais difíceis. Mas, durante todo o processo, tive depressão. Com o tempo, foi ficando mais leve. Passei por oscilações, em um momento estava bem, no outro, mal. Até entender o caminho de sempre ficar estável. Há uns cinco anos estou assim."
Suzana Alves se abre sobre depressão

Hoje aos 42 anos, ela é casada há dez com o ex-tenista Flávio Saretta, e os dois são pais de Benjamin, nascido em 2016. No ar em "Gênesis", como Salma, ela também criou um curso em que tenta ajudar outras pessoas a "acharem o seu caminho" na vida e na carreira.

Na quarentena, deixou os cabelos brancos aparecerem pela primeira vez, e não pretende mais pintar. "É uma fase de aceitação, que aconteceu de forma natural. Claro que vou sempre estar aberta para mudar para algum trabalho, só não quero passar tinta", disse.