PUBLICIDADE
Topo

Fátima Bernardes chora ao homenagear Paulo Gustavo: 'Muito difícil'

Fátima Bernardes chora ao falar de Paulo Gustavo - Reprodução/TV Globo
Fátima Bernardes chora ao falar de Paulo Gustavo Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

05/05/2021 11h05

O programa "Encontro com Fátima Bernardes" de hoje foi dedicado a Paulo Gustavo, que morreu aos 42 anos na noite de ontem. A apresentadora se emocionou ao falar sobre a perda do humorista.

Era para ser um 'Encontro' feliz hoje, para falarmos desse fenômeno que foi a Juliette, campeã do 'BBB 21'. Mas a vida está aí para surpreender a gente para o bem e para o mal, e então nós resolvemos abrir espaço aqui hoje para homenagear o genial, o querido Paulo Gustavo. Discurso de Fátima Bernardes na abertura do programa

Fátima ainda criticou a gestão brasileira durante a pandemia do novo coronavírus e falou sobre "mortes que poderiam ser evitadas."

Tem sido muito difícil ver a morte de tantos brasileiros. E quando a perda é muito próxima, ela reascendo a dor de todas as outras mortes. Hoje é um dia de luto pelo Paulo Gustavo, mas também por todos os outros que se foram por conta dessa doença terrível que é a covid-19. E pela forma como essa pandemia vem sendo administrada, infelizmente, aqui no nosso país. Dói muito saber que muitas pessoas, muitas dessas mortes poderiam ter sido evitadas. Cadê a vacina, o respeito ao distanciamento, ao uso de máscara? Cadê uma campanha forte e firme de alerta e informação da população? Disse

"Preciso compartilhar com vocês que é muito difícil fazer um programa como esse", desabafou Fátima.

O ator e humorista Paulo Gustavo morreu ontem, aos 42 anos, em decorrência da covid-19. Ele estava internado no Hospital Copa Star, no Rio, desde o dia 13 de março.

Revolta e indignação

Depois de conversar virtualmente com Fabio Porchat e Heloisa Périssé, Fátima Bernardes se permitiu fazer um desabafo ao vivo. A apresentadora pediu que as pessoas se cuidem, usem máscara e que não aglomerem.

Ela também voltou a citar o descaso do governo e da população, apontando que festas clandestinas são crime.

Confira a fala completa:

Não adianta hoje você estar chorando pelo Paulo Gustavo, pela morte de pessoas queridas, e você vai para a rua sem máscara, vai para a rua aglomerar desnecessariamente. Não estamos falando do trabalhador no ônibus, nem no trem. Estamos falando das pessoas que estão fazendo festas clandestinas. Isso é um absurdo, isso é crime. Você está colaborando para esse número subir.

Pelo amor de Deus, o que falta acontecer? O que falta acontecer para que você saia de casa de máscara, com duas, se possível? O que falta também para esse país distribuir máscaras para as pessoas que não têm condições de comprar? Não tem vacina, então que se distribua máscaras. As pessoas não têm dinheiro muitas vezes.

A gente tem péssimas condições de higiene, a gente tem um país com um péssimo saneamento básico, a gente ainda tem pessoas e escolas que não têm água.

O que a gente pode fazer, tem que ser feito agora, não há mais o que esperar. Nós estamos não só tristes, nós estamos indignados, revoltados. É muito ruim quando a tristeza e a indignação se misturam com a raiva, é um sentimento que eu não gostaria de estar sentindo nesse momento. Eu queria estar dando vazão apenas à tristeza, mas infelizmente não é possível sentir só tristeza nesse momento.

Me desculpem o desabafo.

Veja fotos do humorista e ator Paulo Gustavo