PUBLICIDADE
Topo

Ludmilla comenta desabafo contra racismo no BBB 21: 'Necessário e urgente'

Ludmilla no "Conversa com Bial" - Vídeo/Reprodução
Ludmilla no "Conversa com Bial" Imagem: Vídeo/Reprodução

Colaboração para o UOL

13/05/2021 02h28Atualizada em 13/05/2021 02h31

Ludmilla revelou que seu desabafo contra o racismo em uma festa da qual foi a convidada no "BBB 21" veio de uma urgência e uma necessidade que ela sentiu de expressar aquela mensagem no momento, após ter perdido um processo na justiça.

"Naquela semana, eu tinha perdido um processo para Val Malchiori, ela me chamou de cabelo de bombril e o juiz havia dado ganho a ela por liberdade de expressão. (...) Era um assunto necessário e urgente. Se eu pudesse ter mais tempo pra falar, eu faria isso de todo o meu coração. Por isso eu quis deixar aquele recado. Tem que respeitar", contou a cantora durante participação no "Conversa com Bial" de hoje. Lud e o cantor Thiaguinho foram os convidados da atração.

"Esse show, essa aparição, foi uma das mais importantes que já fiz em TV. Eu fui lá levar uma mensagem além de alegria e música. Tava ecoando a voz de milhares de brasileiros que são ocultados o tempo inteiro. (...) A cada passo que a gente dá pra frente, a gente dá 30 pra trás. Isso perante o Brasil inteiro, foi uns 60 passos pra trás", continuou Ludmilla.

A festa a que a conversa se referiu também aconteceu horas após o participante Rodolffo Mathaus se envolver em uma polêmica de racismo, onde comparou o cabelo de João Luiz ao de um homem das cavernas.

Convidado a comentar o tema, Thiaguinho falou sobre a situação relembrando um projeto que tem tocado em seu instagram, onde comenta casos de racismo.

"Você ser preto no Brasil... Você lembra disso desde a hora que você acorda, até a hora que vai dormir. (...) Pouca gente fala disso na escola, eu estudei numa escola particular onde eu era o único negro. Demorei a entender como lidar com aquele assunto porque não era conversado, pelo contrário", comentou o cantor, explicando o que espera de seus comentários no instagram: "Reconhecer vozes de pessoas que passam por isso e não tem visibilidade."

Relação com Thiaguinho e chegada ao pagode

Ludmilla revelou também que, no passado, era fã de Thiaguinho e estava presente na maioria dos seus shows, como tiete, e que não imaginava que hoje seria tão próxima dele.

"Sou fã do Thiaguinho desde que minha mãe deixou eu sair. Usava faixa, ficava na grade. A primeira vez que fui cantar com ele quase tive um piripaque. (...) A vida leva a gente pra caminhos que a gente nunca poderia imaginar. Eu nunca imaginaria ser colega do Thiaguinho, imagina irmã", brincou Lud.

A recente empreitada de Ludmilla pelo mundo do pagode também foi assunto do bate-papo. A funkeira lançou em 2020 o EP "Numanice", dedicado exclusivamente ao gênero.

Ludmilla explicou a Bial sobre a sua relação com o gênero. "O pagode tá na minha vida desde pequeninha. Mas eu nunca tive a intenção de cantar, porque achava um mundo muito fechado para mulheres. Aí numa brincadeira, a galera começou a pedir pra eu cantar pagode. E aí a galera pirou", contou a cantora, animada. Aí falei. "Se eu ganhar como melhor cantora no Prêmio Multishow, aí eu faço um EP de pagode para vocês. E não é que eu ganhei?"

Thiaguinho aproveitou o ensejo para também falar sobre a empreitada. "O samba tem essa tradição da renovação, mas tem isso de honrar. Não é só uma música. É a história do nosso país. Eu vejo isso na Lud com ótimos olhos. Primeiro porque ela tem propriedade para cantar e porque, além de chegar com a voz, ela tem o instrumental, o coração, as raízes e a cultura. A galera do pagode a aceitou de braços abertos porque a gente já sabia que ela era pagodeira".

Questionada ainda por Bial o que o funk e o pagode teriam em comum, Ludmilla foi enfática e direta: "Vem da favela".

Thiaguinho, meditação e Maracanã

Na conversa com Pedro Bial, Thiaguinho comentou ainda sobre ter encontrado na meditação uma forma de conseguir se manter são durante a pandemia de Covid-19.

"Nesse momento da parada, eu tive que me enfrentar. Primeiro, morar sozinho, primeira vez na minha vida. Veio essa parada e fiquei mais sozinho. Então fui atrás de algo que pudesse me equilibrar mentalmente. Se eu não tivesse a meditação, se não tivesse esse olhar pra mim, seria bem mais difícil."

O cantor também falou sobre a emoção de ter feito um show no Maracanã. "Deus me deu muito mais do que pedi. Já tinha vivido um momento muito lindo com o Exalta. Mas viver de novo essa emoção, mais maduro... Me rejuvenesceu. Me fez um bem danado".

O "Conversa com Bial" vai ao ar de segunda a sexta-feira, após o "Jornal da Globo".