PUBLICIDADE
Topo

Thelma Assis sobre ataques racistas: 'Superem minha vitória no BBB'

Thelma Assis - Reprodução/Instagram
Thelma Assis Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/05/2021 07h02Atualizada em 18/05/2021 14h14

Thelma Assis, vencedora do "BBB 20" (Globo), veio a público através de seu Twitter para desabafar sobre ataques racistas que recebeu durante a madrugada de hoje na mesma rede social.

A médica e apresentadora reclamou das mensagens agressivas que vem recebendo. "Hoje tirei o dia para estudar. Vim dar uma olhada no Twitter e um monte de gente me marcando para jogar 'hate'. Gente tóxica que cria rivalidade onde não existe e não perdem a oportunidade de me atacar", começou ela.

Cambada de racista que não aceita ver mulher preta ocupando todos os espaços. Superem a minha vitória no BBB, pois o dinheiro já tá rendendo faz mais de 1 ano.

Em seguida, Thelma explicou que seu perfil nas redes sociais tem uma pessoa responsável que está autorizada a bloquear mensagens do tipo. "Eu tenho social mídia autorizada para deixar de seguir quem me ofende ou é conivente com qualquer tipo de ofensa. Minha saúde mental vocês não vão tirar", afirmou, categórica.

Em abril, Thelma já foi vítima de ataques do tipo que se iniciaram depois que ela, durante uma participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, declarou torcida ao participante do BBB21 Gil do Vigor. Segundo a médica, a torcida de Juliette Freire, também desta edição, descobriu uma publicação de janeiro, onde ela também afirma torcer pelo economista.

Em sequência de stories, a médica anestesista mostrou comentários ofensivos que recebeu: "Quem me conhece, quem me segue sabe que eu não gosto de biscoito, de polêmica. Fico aqui no meu lugar quieta, fazendo as minhas coisas. Ninguém é obrigado a gostar de ninguém, e é por isso que a gente não é obrigado a seguir ninguém nas páginas. Você não precisa ficar desmerecendo ninguém para tentar enaltecer outras pessoas", começou.

Thelminha ainda falou sobre os ataques que vem recebendo, que chegaram a alcançar marcas com as quais ela trabalhou recentemente: "Eu sempre assisti BBB aqui do meu sofá. Aqui do meu sofá sempre me identifiquei com alguém e sempre torci. Ano passado eu estava lá dentro e não tinha noção do que tinha virado torcida de reality show aqui fora e do quanto isto está sendo tóxico. Não dá para generalizar, porque a torcida é feita por muitas pessoas. Mas também não dá para ser ingênua".