PUBLICIDADE
Topo

Jornalista é alvo de agressões verbais durante passeata de Bolsonaro no Rio

Repórter da CNN precisou ser escoltado durante ato pró-Bolsonaro no Rio de Janeiro após agressões verbais - Reprodução / Twitter
Repórter da CNN precisou ser escoltado durante ato pró-Bolsonaro no Rio de Janeiro após agressões verbais Imagem: Reprodução / Twitter

Do UOL, em São Paulo

23/05/2021 17h41Atualizada em 23/05/2021 19h22

Um jornalista foi alvo de agressões verbais e físicas durante o ato organizado pelos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no Rio de Janeiro. Pedro Duran, repórter da CNN Brasil, precisou de escolta policial para sair do local onde o evento acontecia na tarde de hoje.

Bolsonaro circulou pela zona oeste e sul do Rio, mas não estava presente no momento em que o jornalista foi alvo das agressões.

Em imagens compartilhadas na internet é possível ver apoiadores de Bolsonaro intimidando o jornalista a não executar seu trabalho com palavras como "vai para casa", "vagabundo" e "lixo". Segundo o UOL apurou, Pedro Duran também recebeu socos e chutes.

Um apoiador chega a tentar impedir que o jornalista prosseguisse para se retirar do local, obstruindo a passagem com uma bandeira do Brasil, enquanto os demais repetem em coro as agressões.

Durante o trajeto até a viatura da polícia, o profissional de imprensa foi tocado por apoiadores, que o criticavam por reportar os fatos ocorridos durante a passeata motociclística.

O âncora da CNN, Marcio Gomes, prestou solidariedade a Pedro Duran nas redes sociais após as agressões. Na mensagem, o jornalista afirma que "na briga irracional" que acontece no país, os jornalistas foram "escolhidos como alvo".

Em nota ao UOL, a CNN Brasil informou que repudia qualquer tipo de agressão e que acredita na liberdade de imprensa como um dos pilares de uma sociedade democrática.

"A CNN Brasil repudia veementemente qualquer tipo de agressão. Acreditamos na liberdade de imprensa com um dos pilares de uma sociedade democrática. Os jornalistas têm o direito constitucional de exercer sua profissão de forma segura, para noticiarem fatos, dentro dos princípios do apartidarismo e da independência", escreveu a assessoria da emissora.

Passeata de moto no Rio

O presidente participou hoje de um passeio ao lado de motociclistas no Rio. Ao final do evento, o chefe do Executivo nacional realizou um discurso com ataques aos governadores e prefeitos que decretaram medidas restritivas para conter o avanço da pandemia do coronavírus.

Sem máscara, Bolsonaro esteve ao lado do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e teceu elogios ao general do Exército.

O ex-ministro foi ouvido nesta semana pela CPI da Covid e, segundo o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, senador Omar Aziz (PSD-AM), ele será convocado a depor mais uma vez por haver contradições no seu discurso.

Assista ao vídeo: