PUBLICIDADE
Topo

Estudante que acusa produtor do BBB de assédio diz que Globo não a procurou

De TV e Famosos

10/06/2021 12h53Atualizada em 10/06/2021 14h30

A estudante de odontologia Aline Vargas, de 35 anos, que abriu um boletim de ocorrência contra um produtor do BB por assédio sexual na Delegacia da Mulher, de Belo Horizonte, disse que a Rede Globo ainda não a procurou para dar suporte sobre o caso. O crime, segundo Vargas, ocorreu no dia 23 de maio deste ano.

Ao invés de procurar, eles correram. Tenho contato do WhatsApp direto do Ali Kamel, diretor-geral de jornalismo. Enviei [mensagem] pra ele no WhatsApp. Ele visualizou e me bloqueou. Enviei para o Bruno, pesquisador de matérias do Fantástico, que ignorou. Mandei mensagem para o WhatsApp do Boninho, ele leu, viu, bloqueou. Cientes, eles estão. Pior, eles calaram
Aline Vargas

Durante a entrevista ao UOL News, Aline declarou ainda que outras três vítimas do mesmo produtor a procuraram para falar sobre os casos. Na versão apresentada pela estudante de odontologia, uma mulher que teria sido abusada há 10 anos cogita denunciar o crime. Os outros casos seriam de dois homens, um deles que trabalhou na Rede Globo e outro que teria sido obrigado a fazer sexo oral no produtor denunciado.

Também tem de um rapaz que pediram para ele fazer sexo oral, e tem um amigo meu -- que a gente fez essa amizade [recente] -- que não foi no BBB, mas para ele se manter na Rede Globo, ele tinha que fazer essas coisas, até o momento que ele não aguentou mais. Esse crime não prescreve, a pessoa pode fazer BO [Boletim de Ocorrência] a qualquer momento
Aline Vargas

Aline afirma que durante o processo seletivo para entrar na edição de 2022 do BBB, o produtor do programa chegou a pedir que ela enviasse fotos nuas como condição para que ela fosse para a próxima fase. A mineira havia tentado participar da edição de 2021 do programa, mas não conseguiu a vaga.

Rede Globo

A respeito da denúncia de assédio sexual, a Rede Globo, procurada ontem pelo UOL, informou por meio de nota que o funcionário acusado por Aline não trabalha mais na empresa.

Aproveitamos para reiterar que temos um Código de Ética, que deve ser seguido por todos nossos colaboradores, e uma ouvidoria pronta para receber quaisquer relatos de violação ao Código. Todo relato é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento e as medidas necessárias são adotadas
Rede Globo

Segundo Aline relatou para a polícia, a primeira abordagem teria sido iniciada com o contato do produtor com ela via mensagem privada no instagram. As conversas foram relatadas no boletim de ocorrência e entregues como provas a polícia em um pen drive, que irá ser submetido a perícia.

Polícia Civil

Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais confirmou a denúncia e disse que ainda investiga o caso.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informa que o inquérito policial está em andamento na Delegacia Especializada de Investigação a Violência Sexual em Belo Horizonte. Outros detalhes serão repassados em momento oportuno, considerando que as investigações estão em curso e a divulgação antes da conclusão do procedimento pode prejudicar o andamento do feito.

Como denunciar

Caso tenha sofrido alguma agressão, registre um boletim de ocorrência em qualquer delegacia. Se puder, procure uma delegacia da mulher, especializada neste tipo de caso.

Também é possível ligar para 180. O canal do governo federal funciona 24 horas, incluindo sábados, domingos e feriados. A central dá orientações jurídicas, psicológicas e encaminha o pedido de investigação a órgãos de defesa à mulher, como o Ministério Público