PUBLICIDADE
Topo

Luana Xavier sobre namoro: 'Tenho 34 anos e nunca tive um relacionamento'

Luana Xavier, que está na nova temporada de "Sessão de Terapia" - Reprodução/Instagram
Luana Xavier, que está na nova temporada de "Sessão de Terapia" Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

11/06/2021 13h00Atualizada em 11/06/2021 13h01

Luana Xavier estreou recentemente como Giovana na série "Sessão de Terapia", no ar pela Globoplay, como uma jovem obesa que procura ajuda para emagrecer. A atriz revelou que possui muito em comum com a personagem.

"Faço terapia há anos. E todas as minhas primeiras sessões começam com a mesma frase. 'Estou aqui porque quero saber dizer não e emagrecer'. Foi a Giovana que me trouxe para o eixo. Temos as mesmas questões. Não pretendo me adequar a padrões, mas estou classificada como obesa mórbida, e isso traz diversas doenças a reboque. Agora, eu bato na tecla de dois movimentos, o do corpo livre e o da conscientização da obesidade como doença", comentou em entrevista para o jornal "O Globo".

Ela também comentou sobre o fato de não ter se envolvido em um relacionamento amoroso até o momento. "Até então, sou heterossexual e espero que isso mude. Tenho 34 anos e nunca tive um relacionamento, um namoro. Tenho uma lista grande de 'peguetes', mas na hora de segurar a mão em público o homem não valoriza a mulher negra. Ficamos nesse conceito de que somos quentes na cama, mas não para algo mais sério", lamentou.

À parte de seu trabalho como atriz, Luana se prepara para herdar o terreiro de umbanda que foi comandado por sua avó, a também atriz Chica Xavier, que morreu no ano passado. "Ela foi me ensinando tudo aos poucos. Ainda não guiei minha primeira gira porque o terreiro está de luto. Só podemos voltar a fazer as cerimônias depois de completar um ano da passagem da minha avó", explicou.

Foi na vivência da religião que ela, quando criança, começou a se interessar pela atuação. "Eu tinha uns cinco anos. E transformava essa vivência no terreiro em uma apresentação. Adorava fazer o caboclo por causa dos trejeitos com as mãos. Minha família se divertia e eu já dizia que seria atriz. Até treinava o meu autógrafo", relembrou.

Em seguida, Luana contou que sua família a proibiu, um tempo depois, de imitar as incorporações que via no terreiro. "Pensaram que eu poderia me conectar com as entidades e passar a recebê-las ainda muito pequena", destacou.