PUBLICIDADE
Topo

Câmara de Presidente Prudente repreende Thaila Ayala por 'difamar' cidade

Thaila Ayala foi criticada por moradores de Presidente Prudente - Reprodução / Instagram
Thaila Ayala foi criticada por moradores de Presidente Prudente Imagem: Reprodução / Instagram

Gabriel Nanbu

Do UOL, em Santos

16/06/2021 04h00

A Câmara Municipal de Presidente Prudente (SP) aprovou na segunda (14) uma moção de repúdio a falas de Thaila Ayala nas redes sociais. A atriz e modelo teria relatado uma realidade "distorcida e aumentada" sobre a violência no bairro Jardim Mediterrâneo, onde ela passou a infância e adolescência.

A moção, obtida pelo UOL, foi proposta pela vereadora Joana d'Arc Patrício do Nascimento (PSB) e aprovada por unanimidade.

O texto diz que Presidente Prudente tem um dos maiores índices de desenvolvimento humano do Brasil, de acordo com censo de 2010, e acusa a atriz de "ter exposto em vídeo o relato de uma realidade distorcida e aumentada sobre o bairro Jardim Mediterrâneo, sobre as escolas que frequentou e sobre a cidade."

"Por ser pessoa pública, poderia ter evitado 'teatralizar', de forma pejorativa, fatos desconhecidos em sua cidade natal", diz ainda a moção.

"Eu trabalhei 44 anos na rede pública como diretora e professora, então conheço todo o sistema. Eu espero que ela se retrate porque são relatos totalmente fantasiosos. Eu fiquei extremamente chateada com isso", justificou a vereadora em conversa com a reportagem.

Procurada para responder ao documento, a artista ainda não se manifestou. A nota será atualizada caso ela se pronuncie.

Entenda o caso

No começo do mês, em conversa com seguidores nos stories do Instagram, Thaila disse que cresceu em um lugar "muito pobre e violento". Afirmou que duas escolas públicas em que estudou fecharam por causa da violência: "Era [aluno] esfaqueando o professor".

Disse ainda que um vizinho foi esquartejado no bairro e que uma amiga era torturada pelos pais e sofria estupros de um vizinho.

Os relatos repercutiram negativamente entre alguns moradores de Presidente Prudente, que expressaram indignação nas redes sociais. A artista foi acusada de "aumentar" e até de mentir sobre o que testemunhou.

Depois das críticas, a atriz se retratou, argumentando, na mesma rede social, que não se referia à cidade de Presidente Prudente quando falou sobre o contato com a violência na juventude.

Disse ainda que o município é "referência na agropecuária, na cultura e na educação" e elogiou a terra onde cresceu. "É uma cidade muito rica. Todo grande ator que conheço já fez teatro lá. Eu estava falando da minha realidade", disse.