PUBLICIDADE
Topo

Tyra Banks comemora mudanças na Victoria's Secret: 'Revolução na beleza'

A ex-modelo e atriz Tyra Banks - Slaven Vlasic/Getty Images
A ex-modelo e atriz Tyra Banks Imagem: Slaven Vlasic/Getty Images

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

17/06/2021 18h58

Tyra Banks, ex-modelo e ex-angel da Victoria's Secret, celebrou as recentes mudanças anunciadas pela marca. Banks, que foi a primeira modelo negra contratada pela empresa, afirmou que está "testemunhando uma revolução na beleza".

"O primeiro é difícil. O primeiro é solitário. Mas o primeiro é necessário. O primeiro é crucial para que uma porta possa ser aberta para que outros possam passar. Em um período de dez anos a partir de 1995, fui a primeira modelo negra contratada pela Victoria's Secret. A primeira modelo negra da Victoria's Secret em capas de revista. A primeira modelo negra da VS a fazer tantas outras coisas inovadoras com a marca — assim como outras marcas", começou a apresentadora, que acrescentou:

Mas depois de um primeiro, deve vir um fluxo de mais. Um fluxo diferente. Um fluxo único. Um fluxo tão forte, um fluxo de tantos que PERDEMOS CONTAGEM. Eu me aposentei da passarela há 16 anos — e tenho orgulho de estar testemunhando uma revolução na beleza durante minha vida. Para o novo coletivo de modelos, posso ter aberto a porta, mas vocês estão atacando. Continue até que todos nós PERDAMOS CONTAGEM de quantos estão quebrando barreiras atrás de você. Tyra Banks

Hoje, a Victoria's Secret anunciou que está passando por um rebranding e que está lançando duas novas iniciativas: o "Coletivo VS" e o "Fundo Global Victoria's Secret para o Câncer Feminino", que vai doar, pelo menos, 5 milhões de dólares anualmente (mais de R$ 25 milhões) "para examinar e abordar as desigualdades raciais e de gênero" e ajudam a avançar pesquisas que melhorem os resultados dos cânceres que atingem mulheres.

O "Coletivo VS" apresenta mulheres como a atriz Priyanka Chopra, a jogadora de futebol Megan Rapinoe, a modelo brasileira trans Valentina Sampaio e muitas outras "mulheres talentosas que compartilham uma paixão comum para impulsionar uma mudança positiva", segundo a marca em um comunicado à imprensa.

As mudanças surgem quase dois anos após o fim do título de "angel" e o cancelamento do tradicional desfile da marca em novembro de 2019 devido às críticas de que a Victoria's Secret não apresentou modelos de todos os tamanhos e origens em sua passarela.