PUBLICIDADE
Topo

Senador assumidamente gay pede MP para investigar Sikêra Jr. por homofobia

O apresentador Sikêra Júnior - Reprodução
O apresentador Sikêra Júnior Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/06/2021 20h32

No dia do Orgulho LGBTQIA+, o senador Fabiano Contarato (Rede - ES), que é assumidamente gay, pediu ao Ministério Público uma investigação contra o apresentador Sikêra Júnior por homofobia.

"Liberdade de expressão não pode ser usada para cometimento de crimes, incitação à violência e ofensa à honra, à dignidade e à imagem", destacou o senador em publicação feita no Twitter.

O pedido de Fabiano acontece por conta de comentários do apresentador realizados na última sexta-feira (25) no programa "Alerta Nacional", da RedeTV!.

O apresentador chamou pessoas que fazem parte do movimento LGBTQIA+ de uma "raça desgraçada". O comentário aconteceu após Sikêra comentar sobre um comercial em que crianças falam sobre o tema.

"Um povo lacrador que não convence mais os adultos e agora vão usar as crianças. É uma lição de comunismo: vamos atacar a base, a base familiar, é isso que eles querem", afirmou ele durante a atração.

O momento foi exposto pela cantora Ludmilla nas redes sociais, que também pediu por punição. "Gente, o que está acontecendo com a sociedade?", questionou.

Polêmicas envolvendo Sikêra Jr.

Recentemente, o MPF (Ministério Público Federal) ajuizou uma ação civil pública pedindo que Sikêra Júnior seja condenado por dano moral coletivo por "falas discriminatórias (discurso de ódio) ao sexo feminino". A ação diz respeito a um comentário feito em 2018.

O apresentador também foi alvo de críticas após receber R$ 120 mil por uma campanha do governo federal. Sikêra Júnior confirmou o cachê ao vivo no "Alerta Nacional" e ironizou o valor.