PUBLICIDADE
Topo

Lucas Penteado questiona abordagem da PM: 'Se isso não é racismo, é o que?'

BBB 21: O ex-BBB Lucas Penteado denunciou racismo após abordagem de PMs em seu apartamento  - Reprodução/Instagram
BBB 21: O ex-BBB Lucas Penteado denunciou racismo após abordagem de PMs em seu apartamento Imagem: Reprodução/Instagram

Ane Cristina

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/07/2021 13h21Atualizada em 07/07/2021 13h21

Nesta madrugada, Lucas Penteado relatou ter recebido uma abordagem da polícia militar na porta de seu apartamento em São Paulo. Segundo o ator, houve uma denúncia devido à música alta, mas ele nega qualquer barulho.

"A gente tava em casa, comendo pizza tranquilo, só a minha família tá aqui presente", diz Lucas, mostrando que estava com mais cinco pessoas em seus Stories do Instagram.

"Aí do nada bateram na nossa porta e tinham três oficiais da polícia militar na minha porta. Ele falou 'a gente veio por causa da ocorrência sobre o barulho'. Mas não tinha música, não tinha volume da TV, porque a TV tava desligada, não tinha conversa alta porque a gente tava conversando normal aqui na sala. Na verdade eu tava dormindo lá em cima", diz o ex-BBB.

Lucas relata ter afirmado que devia ter acontecido alguma confusão na denúncia e os policiais reafirmaram a ocorrência "já numa alteração".

Eu só fiz esses Stories e o ao vivo que eu tinha feito porque é esse o tipo de tratamento que a família preta tem quando vem morar nos Jardins. 'Mó bagulho' desnecessário. disse o ator.

"Mas ó, se isso aí era pra deixar a gente magoado... Pelo contrário, só deu mais vontade ainda de a gente lutar pelos nossos direitos, certo? E alcançar cada vez mais espaço. Queria agradecer e parabenizar os oficiais que estavam de prontidão e vieram aí caso tivesse acontecido alguma coisa realmente, eles estariam aí prontos", acrescenta Lucas.

"E também, caso os vizinhos estejam reclamando, [quero] pedir desculpas pelo barulho de mastigar a pizza", diz o ator de forma irônica.

No último vídeo, ele mostra o silêncio no ambiente e questiona: "Se isso aí não é racismo, família, é o quê?"

O UOL entrou em contato com a secretária de segurança pública, mas ainda não obteve um posicionamento. Assim que houver, a reportagem será atualizada.