PUBLICIDADE
Topo

Ney Matogrosso aborda aposentadoria e experiência com Santo Daime

Ney Matogrosso no anúncio da turnê Atento Aos Sinais, em 2013 - Karime Xavier/Folhapress
Ney Matogrosso no anúncio da turnê Atento Aos Sinais, em 2013 Imagem: Karime Xavier/Folhapress

Colaboração para o UOL, em São Paulo

31/07/2021 10h50Atualizada em 31/07/2021 10h50

Ney Matogrosso completa 80 anos amanhã, entretanto, o próprio não se vê com esta idade. "Eu não me vejo com 80 anos. Não sei como tem que ser, o que tenho que fazer ou mudar. Tive uma inquietação com os 60 anos. Mas dali para cá, foi tudo igual. Nada me incomoda", iniciou o cantor em entrevista ao jornal Extra.

Por mais que aniversário seja sinônimo de festa, o artista não sabe se pretende comemorar. "Se não fosse a pandemia, talvez eu fizesse festa. Já coloquei 100 pessoas dentro de casa. Mas fico preguiçoso para festa, porque a gente trabalha muito e não se diverte", explicou.

Com uma carreira repleta de sucessos, Ney ainda não vê a aposentadoria no horizonte. "Não, não penso. Enquanto eu conseguir cantar, vou cantar. O que me surpreendeu muito foi eu ainda estar podendo cantar. Fiquei meio grilado. Com os shows, tem aquele aquecimento. Fiquei mais de um ano sem abrir a boca para cantar. Aí fiquei inseguro, porque é músculo. Mas no estúdio, eu vi que estava tudo certo", pontuou ele.

Durante o papo, a espiritualidade também foi pautada. Questionado sobre tomar santo daime e como vê a religião hoje em dia, Ney Matogrosso disserta. "Não tenho religião. Tenho um entendimento espiritual. Mesmo o Daime, quando tomei, não fui atrás de religião. Queria me conhecer. E foi útil. Teve um momento em que eu entendi que não era para procurar do lado de fora, mas dentro de mim. Foi o pulo do gato. Respeito todas as religiões. Já fui à umbanda, ao candomblé. Religião é mais que uma igreja. É um modo de estar no mundo", encerrou ele.