PUBLICIDADE
Topo

Pamella Holanda não pretende afastar filha de DJ Ivis: 'É pai dela'

Pamella Holanda denunciou agressões de DJ Ivis no mês passado - Reprodução/Instagram
Pamella Holanda denunciou agressões de DJ Ivis no mês passado Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

13/08/2021 13h34

Apesar das agressões que sofreu de DJ Ivis, Pamella Holanda afirma que não pretende cortar as relações dele com a filha, Mel, de dez meses: "Ele é pai dela, e vai ser para o resto da vida", afirma em entrevista à rádio Jovem Pan.

"A minha história com o pai da minha filha acabou. Eu vivi uma história com ele, eu engravidei, vivemos juntos, fomos casados. Óbvio que tivemos momentos bons e tudo mais, mas acabou. Agora, a história dele com a filha dele, ele vai ter que ou construir ou reconstruir", conta.

Pamella diz que torce para que a relação dos dois seja saudável: "Eu quero muito, de verdade. Porque eu acredito que isso também vai ajudar ele. Eu acho que não é porque uma pessoa não recebeu amor que ela obrigatoriamente não sabe dar amor".

Eu quero muito, de verdade, que ele tenha uma boa relação com a Mel. Que a Mel se sinta amada, acolhida, protegida pelo pai. Pamella Holanda

Na entrevista que vai ao ar amanhã, Pamella diz que perdoa DJ Ivis: "O perdão não é sobre ele, o perdão é sobre mim. E eu me perdoo também, por eu ter me colocado nessa situação e por ter me permitido viver tanto tempo assim".

Ela diz que foi pensando na filha que decidiu expor as agressões e terminar o relacionamento:

"Se eu continuasse com ele, eu estaria criando mais uma pessoa doente para a sociedade. Mais uma mulher insegura, cheia de ansiedade, com traumas, com dificuldade de se relacionar não só com homens mas comigo também, com a própria mãe. Então que espécie de mãe é essa?"

A entrevista completa com Patricia Calderón vai ao ar no Jornal da Manhã no sábado (14).

Como denunciar violência contra a mulher

Mulheres que passaram ou estejam passando por situação de violência, seja física, psicológica ou sexual, podem ligar para o número 180, a Central de Atendimento à Mulher. Funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo Whatsapp no número (61) 99656-5008.

Também é possível realizar denúncias de violência contra a mulher pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil e na página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH), do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).