PUBLICIDADE
Topo

Príncipe Andrew põe chalé à venda por R$ 127 milhões para fugir de processo

Príncipe Andrew coloca seu chalé à venda por R$ 127 milhões - Max Mumby / Indigo / Getty Images
Príncipe Andrew coloca seu chalé à venda por R$ 127 milhões Imagem: Max Mumby / Indigo / Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/09/2021 10h29

O príncipe Andrew teve seu nome envolvido em outra polêmica. Ele colocou à venda sua única propriedade, um chalé na Suíça avaliado em mais de R$ 127 milhões para resolver um processo por não pagar a última parcela do local, no valor de R$ 48 milhões.

O Chalé Helora, possui sete quartos e uma estação de esqui privativa, foi comprado em 2014, usando uma hipoteca e financiamento privado da mãe de Andrew, a rainha Elizabeth 2ª.

Andrew - Wikimedia Commons - AFP - Wikimedia Commons - AFP
Príncipe Andrew vende chalé na Suíça por R$ 127 milhões
Imagem: Wikimedia Commons - AFP

Segundo o jornal "The Times of London", o membro da realeza comprou a residência junto de sua ex-esposa, Sarah Fergunson, com o intuito de ser "um investimento familiar de longo prazo", contou uma fonte próxima ao príncipe.

Entretanto, o plano não deu certo, já que a ex-proprietária, Isabelle de Rouvre, entrou com um processo nos tribunais suíços, acusando Andrew de não ter pagado a última parcela da residência. Para não ser processado, o príncipe decidiu colocar o local à venda e combinou com a socialite de usar os fundos para pagá-la.

"A ação judicial foi retirada e o assunto está perto de ser resolvido para a satisfação mútua de todos", disse ao jornal uma fonte próxima ao processo. Assim que a propriedade for vendida, o membro real ficará sem propriedades em seu nome.

Essa não foi a única vez que Andrew foi envolvido em uma grande polêmica judicial.

O príncipe britânico Andrew foi notificado de um processo de agressão sexual nos Estados Unidos movido por uma mulher que disse que o duque de York a forçou fazer sexo com ele na casa em Londres do financista Jeffrey Epstein.

O príncipe e sua acusadora, Virginia Giuffre, concordaram que intimação foi efetivada a partir de 21 de setembro, segundo uma ação conjunta na sexta-feira no Tribunal Distrital dos EUA em Manhattan.

Sujeito à aprovação da corte, Andrew terá até 29 de outubro para responder formalmente ao processo, e não renunciou às suas defesas contra as alegações de Giuffre, as quais anteriormente havia negado "categoricamente".

O acordo parece, por enquanto, encerrar um esforço de um mês da equipe jurídica de Andrew, incluindo advogados no Reino Unido, para bloquear o processo de Giuffre no início, em vez de deixar o príncipe de 61 anos se defender dele.

Andrew Brettler, advogado de Andrew em Los Angeles, não quis comentar. Os advogados de Giuffre não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

Giuffre, de 38 anos, acusou o segundo filho da rainha Elizabeth em processo de 9 de agosto de forçá-la a fazer sexo há cerca de duas décadas, quando ela era menor de idade, na casa em Londres de Ghislaine Maxwell, colega de longa data de Epstein.

Ela também disse que Andrew abusou dela mais ou menos na mesma época na mansão de Epstein em Manhattan e na ilha particular de Epstein nas Ilhas Virgens Americanas.