PUBLICIDADE
Topo

João Vicente discute papel de famosos e defende posicionamento político

O ator e apresentador João Vicente - Reprodução / Instagram / Vini?cius Mochizuki
O ator e apresentador João Vicente Imagem: Reprodução / Instagram / Vini?cius Mochizuki

Marina Marini

Do UOL, em São Paulo

16/10/2021 04h00

João Vicente De Castro é direto em seus posicionamentos. Basta passar pelo Instagram do ator e apresentador para notar que ele usa as redes sociais também como ferramenta de mudança.

Em conversa com o UOL, ele comentou o papel de famosos nas redes sociais enquanto o Brasil vive uma "desigualdade social pornográfica."

Eu me sentiria constrangido em postar a Semana de Moda em Paris sendo que as pessoas estão disputando ombro a ombro um pedaço de osso no Brasil. Mas eu também não acho que essas pessoas são culpadas por isso, e o trabalho delas tem a ver com isso. Não é simples, é muito complexo. Mas acho que, se você for à Semana de Moda de Paris, e se seu trabalho tiver a ver com viver essa vida de luxo, acho que o mínimo que você pode dar em troca é uma manifestação real usando sua potência comunicativa para tentar de alguma forma mudar alguma coisa no país onde você vive. comentou

O comentário de João faz referência ao recente evento de moda realizado na capital francesa. Muitos famosos brasileiros marcaram presença e inundaram as redes sociais com publicações cheias de glamour.

Para ele, se o alcance pode ser usado para exibir luxo, também deve ser voltado para pautas importantes. João acredita que se "conseguir fazer um seguidor pensar, já faz diferença". Por isso, entende que outras celebridades também deveriam se atentar ao contexto atual e demonstrar apoio a algumas causas.

"Eu acho que tem obrigação sim. Hoje em dia, o mínimo que você pode fazer é se posicionar. Mas, se você me perguntar se eu acho que essas pessoas que não se posicionam são todas umas 'covardes' e 'desgraçadas', vou dizer não. É impossível que a gente saiba o que passa na cabeça da pessoa. Mas é muito triste que as pessoas não se posicionem para ter um conforto pessoal ou para não se comprometer e talvez ganhar um punhado de tostão a mais ou a menos", considerou o ator.

Posicionamento por "necessidade"

Questionado sobre quando ligou um alerta para a política, João Vicente contou que passou a se expor mais sobre o assunto quando ele "se fez absolutamente necessário e urgente."

Crítico do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ator acredita que a política não é um assunto simples, mas que precisa ser debatida abertamente.

A política tem um papel crucial nas nossas vidas e isso tem que ser entendido e estabelecido como óbvio. As pessoas parecem achar que é um assunto secundário, quando é um assunto de primeira importância. A gente tinha uma gestão anterior que tinha muitos problemas, uma gestão à qual eu sou muito crítico, mas a gente passou para uma gestão que é absolutamente nociva para todos os desenvolvimentos sociais que a gente tinha, para nossas vidas. A gente tem um governo não só incompetente, como mal-intencionado. Então, hoje em dia não é uma questão de ter vontade ou não de se manifestar. É uma questão de não ter outra saída. disse

Apesar da familiaridade com o tema, ele diz que preferiria não pensar em política, já que seu posicionamento "atrapalha mais do que ajuda" e não traz nenhum benefício direto.

Marcas x Posicionamento

Recentemente, João Vicente se mostrou indignado ao tomar conhecimento de que algumas marcas impediriam que seus parceiros e contratados se manifestassem sobre política.

Em post no Instagram, ele agradeceu algumas parcerias. À reportagem, contou que duas empresas tentaram colocar em contrato que ele não poderia se manifestar politicamente. Uma delas tirou a cláusula do acordo, enquanto a outra cancelou a parceria.

"Não me interessa me associar a nenhuma marca que tenha esse posicionamento. Assim como não me interessa me associar a nenhuma marca que apoiou o governo de agora. Dinheiro é importante, mas não pode ser a tônica direta das nossas vidas", afirmou.

Eleições 2022

Para as próximas eleições presidenciais, que ainda não têm candidaturas lançadas oficialmente, João Vicente não tem dúvidas de que votaria em "qualquer pessoa" que disputasse o cargo com Bolsonaro — inclusive Lula.

Eu voto no Marcos Mion, Tiririca, Leonardo DiCaprio, na Samara Felippo, em qualquer pessoa. Mas, de fato, gostaria de um presidente que soubesse o que está fazendo, uma pessoa com um projeto de governo. Adoraria ver uma liderança nova, jovem, querendo entender o país de uma maneira moderna. Não gostaria de ver necessariamente o Lula de novo. Adoro o Lula, tenho várias críticas e vários elogios, mas adoraria uma terceira via espetacular, mas não vejo ninguém com chances. brincou

Ainda assim, o ator e apresentador tem consciência de que ano de eleição é "sempre mais delicado" e que "vai ser um momento turbulento."

"O importante é que a gente esteja firme, lute, vire voto, desenvolva o diálogo com respeito e que a gente não se afaste mais. Mais quatro anos, não sei se o Brasil aguenta", finalizou.