PUBLICIDADE
Topo

'Nunca pensei que me apaixonaria por uma mulher', diz Leilane Neubarth

Leilane Neubarth com a namorada, Gaia - Reprodução/Instagram
Leilane Neubarth com a namorada, Gaia Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL

21/10/2021 14h33

A maturidade trouxe muitas mudanças para a vida de Leilane Neubarth. A experiência, a consolidação profissional e - a mais inesperada delas - uma nova forma de amar. Após dois casamentos heterossexuais, a jornalista de 62 anos vive hoje um relacionamento feliz e estável com Gaia Maria.

"Eu não tinha a menor ideia do que viria a acontecer comigo na maturidade. Me casei com o primeiro marido aos 20, me separei aos 26, e, aos 28, me casei com meu segundo marido. Tive dois filhos, um de cada casamento", recorda, em entrevista à revista Veja.

"Com meu segundo esposo, vivi 22 anos casada. A relação sofreu um desgaste grande e nos separamos. Eu sofri muito, tinha planejado minha vida com ele, envelhecer com aquele homem", admite.

Em meio ao processo para se reencontrar, Leilane se surpreendeu ao experimentar pela primeira vez, aos 52 anos, a paixão por alguém do mesmo sexo.

Nunca imaginei que me apaixonaria por uma mulher. Algumas pessoas me falavam: 'Ah, então você sempre foi gay e foi infeliz porque era casada com um homem'. Não! Eu era feliz com minha vida sexual, amorosa, matrimonial. Só que aí eu me separei e, de repente, as coisas começaram a acontecer e surgiu essa outra emoção, outro sentimento, uma outra atração que eu nunca tinha pensado.

"Se me perguntam: 'você nunca teve tesão em mulher?' Não, não tinha. Acho que foi algo que surgiu num momento em que eu estava priorizando a delicadeza amorosa e a harmonia. Então, de lá para cá, eu venho tendo relações homossexuais", esclarece a jornalista.

"Hoje tenho uma namorada, estamos juntas há pouco mais de um ano. Mas se você me perguntar "vai ser assim a vida inteira?", não sei. Eu parei de fazer planos, porque o plano que não se concretiza nos frustra. Sem planos, sem frustrações", resume.

Se na vida pessoal, o momento é de plena realização, no campo profissional não é diferente. Reintegrada recentemente à GloboNews, após longo afastamento desde o início da pandemia, Leilane comemora o sucesso de "O Tempo Que a Gente Tem", programa que apresenta no GNT para o público acima dos 50 anos.

"A ideia é ouvir pessoas e suas experiências, não especialistas trazendo regras. É curioso que ao falar de envelhecimento, logo pensam na aparência. Mas essa não é uma temática da série. Existem coisas mais importantes que falar de rugas", analisa.

"Para os homens, por exemplo, um grande dilema do envelhecer é a perda do poder que muitos costumam ter na vida profissional, mas não se reflete dentro de casa. Se tudo der certo, quero fazer uma segunda temporada voltada para o público masculino", planeja, animada.